últimas notícias.

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

STF: inquérito contra Weintraub sobre racismo vai para 1ª instância

1/5
Please reload

MEC revoga portaria que acabava com cotas para negros e índios

Medida foi publicada hoje (23) no Diário Oficial da União

 

Por Andreia Verdélio, da Agência Brasil 
Brasil | 23 de Junho de 2020, 11h00

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil 

 

O Ministério da Educação tornou sem efeito a Portaria nº 545/2020, publicada no último dia 18, que revogava a Portaria nº 13/2016, que estabelecia a necessidade de criação, naquele ano, de políticas afirmativas nos cursos de pós-graduação. A Portaria nº 559/2020 , que torna sem efeito o ato da semana passada, foi publicada hoje (23) no Diário Oficial da União.

 

>>>Siga o Bem Mais Brasília nas redes sociais: Instagram | Facebook | Twitter 

 

A portaria de 2016 estabelecia, que, em um prazo de 90 dias, as instituições federais de ensino superior deveriam apresentar propostas sobre inclusão de negros, indígenas e pessoas com deficiência em seus programas de pós-graduação (mestrado, mestrado profissional e doutorado), como políticas de ações afirmativas. 

 

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal (MPF), no Rio de Janeiro, estava apurando a legalidade da revogação da medida. Com o ato de hoje, a portaria volta a vigorar.

 

Questionado, o Ministério da Educação informou que a Portaria nº 13/2016 “foi revogada com base no Artigo 8º, do Decreto nº 10.139/2019”, que obriga a anulação de normas “cujos efeitos tenham se exaurido no tempo”. Em nota, a pasta acrescentou que a Lei nº 12.711/2012, em vigor, prevê a concessão de cotas e ações afirmativas exclusivamente para cursos de graduação.

Please reload

comente.
recomendados para você.

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

STF: inquérito contra Weintraub sobre racismo vai para 1ª instância

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV