últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

O meu entorno

 

Por Hulda Rode, do Bem Mais Brasília
Coluna Crônicas da Huldinha | 23 de Abril de 2020, 17h00

Hoje é quinta-feira, 23 de abril, mas não é quinta qualquer. É a quinta do livro. Celebramos em todo o mundo o Dia Mundial do Livro. E esse é meu amor? Alguém duvida? Sou apaixonada por bibliotecas, livrarias e livros. Esse é meu universo. Esse é meu cotidiano. Esse é meu entorno. Amo livros sobre biografias, romances, narrativas, crônicas, ficção científicas e técnicos. Gosto de conhecimento e não paro ler.

 

>>>Siga o Bem Mais Brasília nas redes sociais e não perca nenhuma notícia: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube

 

A minha percepção é de quando lemos um livro habitamos. Quando estou em locais onde há livros, não me sinto sozinha. Sinto que meus autores estão ali do meu lado, até mesmo aqueles que já faleceram, pois somente a literatura tem essa capacidade de deixar um legado e tornar o conhecimento imortal.

 

Gosto da literatura porque ela nos faz pensar, nos faz dar sentido às coisas e nos faz pensar em novas formas de vida. Gosto de escrever, e essa é minha missão de vida, porque além de ser o exercício da nossa humanidade, é a forma como eu me revelo ao mundo. Quando escrevo eu me sinto gente. Gente capaz de amar. Gente capaz de se interessar pela história do outro. Gente capaz de transformar gente. Gente capaz de me aproximar de mim mesma.

 

As pesquisas sobre de vendas de livros, revelam um Brasil de poucos leitores. A falta de interesse pela leitura, não é apenas um fator cultural ou econômico. Que não lê, não se ama, pois, a leitura é uma forma de amar a si mesmo e ao outro. Pois não falamos apenas de conhecimento ou técnica, falamos sobre vida, porque ler e escrever dá voz a nossa alma.

 

Escrever é uma soma das nossas memórias, das nossas saudades e das nossas vontades. Escrever nos revela o melhor de nós mesmos. Talvez essa vulnerabilidade na exposição não é de rejeitar a leitura, e sim, não saber a importância que temos para nós mesmos e para o nosso entorno, ou seja, de quem nos cerca. Portanto, nesse Dia Mundial do Livro, liberte-se, ame mais, escreva mais e viva mais. Jogue poesia no mundão!

 

 

>>>Siga o Bem Mais Brasília nas redes sociais e não perca nenhuma notícia: Instagram | Twitter | Facebook | YouTube

 

 

Hulda Rode é escritora na Editora HR (www.editorahr.com.br) e colunista no Bem Mais Brasília.

 

E-mail: huldarode@gmail.com

Siga: @huldarode

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV