TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV

PARCEIROS:

Todos os direitos reservados.

últimas notícias.

Ministro do STF suspende dívida do município do Rio com BNDES

Continente africano já tem mais de 7 mil casos de covid-19

Secretária de Educação do Rio testa positivo para covid-19

Coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos

Japão adota restrições rigorosas de entrada no país

Caminhoneiros serão incluídos na campanha de vacinação contra gripe

1/5
Please reload

Governadores do Nordeste manterão medidas de isolamento

Gestores publicaram carta conjunta após pronunciamento de Bolsonaro

 

Por Pedro Rafael Vilela, da Agência Brasil 
Brasil | 26 de Março de 2020, 08h00

Foto: Reprodução/Internet 

 

Em carta pública divulgada ontem (25), os nove governadores do Nordeste disseram que manterão as medidas de isolamento social, incluindo restrição de comércio e outros setores, como forma de combater a disseminação do novo coronavírus covid-19.

 

“Vamos continuar adotando medidas baseadas no que afirma a ciência seguindo orientações de profissionais da saúde, capacitados para lidar com a realidade atual. Vamos manter as medidas preventivas gradualmente revistas de acordo com os registros informados pelos órgãos oficiais de saúde de cada região", disseram, na carta.

 

Eles também comentaram o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em rede nacional de rádio e televisão, que foi ao ar na noite de ontem (24). Na ocasião, o presidente disse que as autoridades devem evitar medidas como a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa.

 

"Ficamos frustrados com o posicionamento agressivo do presidente da República, que deveria exercer seu papel de liderança e coalizão em nome do Brasil". Segundo a carta dos governadores do Nordeste, a prioridade é cuidar da saúde da população, mas administrando os impactos na economia.

 

"A decisão prioritária é a de cuidar das vida das pessoas, não esquecendo da responsabilidade de administrar a economia dos estados. É um momento de união, de se esquecer diferenças políticas e partidárias. Acirramentos só farão prejudicar a gestão da crise", afirma o documento.

 

A carta é assinada pelos governadores Rui Costa (Bahia), Flávio Dino (Maranhão), Wellington Dias (Piauí), Renan Filho (Alagoas), João Azevedo (Paraíba), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Camilo Santana (Ceará), Paulo Câmara (Pernambuco) e Belivaldo Chagas (Sergipe).

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Ministro do STF suspende dívida do município do Rio com BNDES

Continente africano já tem mais de 7 mil casos de covid-19

Secretária de Educação do Rio testa positivo para covid-19

Coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos

Japão adota restrições rigorosas de entrada no país

Caminhoneiros serão incluídos na campanha de vacinação contra gripe

1/1
Please reload