últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

Procon ensina como fugir das armadilhas da Black Friday

Confira dicas preciosas para não comprar produtos ‘com metade do dobro do preço’ ou sem necessidade. Pela internet, o risco de fraudes ainda é grande

 

Por Agência Brasília 
Brasil | 09 de Nov de 2019, 11h51

A Black Friday, evento de promoções no comércio que o Brasil ‘importou’ dos Estados Unidos, somente vai acontecer no dia 29 de novembro. Mas é bom o consumidor ficar atento desde já. Para tanto, o Procon DF montou um roteiro de dicas para quem quer aproveitar o evento sem cair em nenhuma armadilha.

 

Foto: Agência Brasília/Arquivo

 

O primeiro passo para não ser enganado na Black Friday é fazer um planejamento do que se pretende comprar. Isso evitar tentações e gasto a mais com ofertas que podem nem ser tão vantajosas.

 

É importante, também, que se pesquise os preços dos produtos, faça a comparação dos valores e dos aumentos ocorridos perto da época da Black Friday. É comum, nessa época do ano, que alguns comerciantes inescrupulosos subam o preço dos produtos para depois baixá-los, simulando um super-desconto criando a sensação de oferta bem vantajosa.

 

Outra dica: não cair na tentação da ‘oportunidade única’ de comprar. Além de o evento acontecer todos os anos, o comércio sempre realiza liquidações – principalmente depois das festas de fim de ano.

 

O consumidor ainda deve se atentar para as políticas de troca e devolução, especificadas no ato da compra. O Procon-DF lembra que o prazo legal para o cliente se arrepender da compra é de 7 (sete) dias a contar da assinatura do contrato ou do ato de recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação ocorrer fora do estabelecimento comercial, conforme Art.49 do Código de Defesa do Consumidor.

 

É necessário verificar a confiabilidade da marca do produto e da loja que o vende – sendo ela física ou virtual (site). O comprador pode verificar  a reputação da loja junto aos órgãos de defesa do consumidor, na Junta Comercial – ou mesmo pesquisar rankings de reputação em sites como o www.reclameaqui.com.br e pela plataforma consumidor.gov.br.

 

É importante, também, que o consumidor fique atento à segurança de seus dados pessoais – principalmente na  compra de produtos ofertados pela internet: os índices de golpes e fraudes nesta época do ano aumentam significativamente. Ele deve estar atento ao site, observar se possui CNPJ da empresa ou CPF do responsável, se informa o endereço físico e se fornece canal de atendimento ao consumidor (SAC). É relevante conferir se o site possui os requisitos mínimos de segurança. A instalação de programas de antivírus e o firewall no computador auxilia a realizar uma compra segura. Estes softwares impedem a transmissão e/ou recepção de acessos nocivos ou não autorizados.

 

Vale muito evitar que as compras sejam realizadas em computadores públicos – como em lan houses e cybercafés. Pode ser que estes não estejam adequadamente protegidos.

 

 

A equipe de fiscalização do Procon-DF está monitorando e atuando de forma preventiva: no dia do evento, a ação fiscalizatória será mais incisiva para verificar se as lojas e sites estão cumprindo as normas do Direito do Consumidor. O Procon reforça, por fim, que se houver descumprimento à oferta, publicidade enganosa, prática abusiva ou qualquer outro desrespeito ao direito do consumidor, o consumidor deve registrar uma denúncia no Procon, nos postos de atendimento, ou por meio do e-mail 151@procon.df.gov.br.

 

*Com informações do Procon-DF

 

 

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV