TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV

PARCEIROS:

Todos os direitos reservados.

últimas notícias.

Smart Escritórios Inteligentes inaugura nova unidade em Brasília

Fintechs: Os Bancos estão morrendo ou evoluindo?

Detran mudará sentido de vias no Polo de Modas

IPVA 2020: Tire suas dúvidas

Torcidas organizadas do Internacional são alvos de operação policial

População da China aumenta para 1,4 bilhão de habitantes

1/5
Please reload

Nutrição eficiente é essencial para mitigar efeitos negativos do glifosato na soja

Da Redação, Bem Mais Brasília 
Agro | 08 de Nov de 2019, 09:30

Lavoura de Soja | Foto: Reprodução 

 

Defensivo agrícola mais utilizado no mundo, o glifosato surgiu como ferramenta importante para o manejo de plantas invasoras de difícil controle que resistiam à ação de outros herbicidas. Entretanto, as aplicações podem causar estresse nas lavouras, como a de soja, gerando impacto produtivo. “Com o glifosato, os agricultores passaram a manejar ervas daninhas com mais eficiência, mantendo a soja com menor mato-competição e, consequentemente, obtendo maior produtividade”, explica engenheiro agrônomo e diretor técnico da Brandt do Brasil, Samuel Guerreiro.

 

A aplicação, contudo, interfere em determinas processos metabólicos da vegetação. “Isso acontece porque a molécula do glifosato tem alta afinidade por cargas livres e acaba sequestrando alguns elementos da planta, impactando, em alguns casos, de forma negativa a eficiência nutricional, por exemplo, da soja”, diz Guerreiro.

 

No caso do cultivo de soja, estudos científicos indicam que, em certas condições, o estresse causado pelo glifosato causa redução de massa seca e nódulos nas raízes e, ainda, provoca queda da produtividade. “Isso pode ocorrer devido ao aumento de AMPA nas folhas ou pela alta afinidade por cargas do glifosato na planta”, detalha o diretor técnico da Brandt do Brasil.

 

Como o herbicida tem função essencial na agricultura atual, a tecnologia auxilia produtores rurais com descobertas para minimizar perdas. A primeira delas foi a aplicação de manganês, elemento químico que têm alta afinidade com a molécula do glifosato e está presente em diversas soluções do mercado.

 

“Hoje em dia, já temos produtos ainda mais inovadores, que além de entregar outros nutrientes importantes as plantas, como zinco, boro e enxofre, contam com tecnologia única, que atua diretamente na fisiologia da planta, mitigando esse estresse causado por defensivos agrícolas”, afirma Samuel Guerreiro.

 

Um dos exemplos dessa moderna tecnologia para mitigar os efeitos do glifosato sobre a plantação é o fertilizante Smart Trio, da Brandt, capaz de corrigir deficiências de nutrientes e atuar diretamente da fisiologia da planta. Resultados obtidos pela empresa indicam redução parcial ou total do estresse causado pelo herbicida dependendo dos fatores climáticos, cultivares, solo e outros.

 

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Smart Escritórios Inteligentes inaugura nova unidade em Brasília

Fintechs: Os Bancos estão morrendo ou evoluindo?

Detran mudará sentido de vias no Polo de Modas

IPVA 2020: Tire suas dúvidas

Torcidas organizadas do Internacional são alvos de operação policial

População da China aumenta para 1,4 bilhão de habitantes

1/1
Please reload