últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

Especialista alerta para os riscos sobre a obesidade

Mais da metade dos brasilienses estão obesos

 

Da Redação, Bem Mais Brasília 
Distrito Federal | 11 de Outubro de 2019 - 16:12h

Foto: Reprodução 

 

Nesta sexta-feira, 11,  é comemorado o Dia Mundial da Prevenção da Obesidade e de acordo com a última pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde, revela que 51,6% da população do Distrito Federal têm excesso de peso (índice de massa corporal acima de 25), e 18%, obesidade (IMC acima de 30).  

 

O órgão entrevistou 52.395 pessoas no país, sendo 2.092 na capital, e trouxe questionamentos sobre exercícios físicos, quantidade de frutas presentes na dieta, consumo de refrigerantes, entre outros hábitos. Entre os participantes, 15,5% por exemplo, disseram tomar refrigerante cinco ou mais vezes semanalmente.

 

Segundo a nutricionista Camila Pedrosa, da Viver Nutrição e Gastronomia, as causas da obesidade estão relacionadas com estilo de vida envolvendo maus hábitos alimentares, sedentarismo e fatores psicossociais como transtorno de ansiedade ou depressão. Além disso, o excesso de peso pode ser fator de risco para várias doenças, como: pressão alta, apneia do sono, doenças cardiovasculares e diabetes tipo II. 

 

Camila ainda lembra que nem toda pessoa que está com peso “ideal”, possui uma alimentação saudável “Hambúrguer, doces e principalmente fast food é uma verdadeira tentação com a vida mais acelerada que as pessoas estão vivenciando ao longo dos últimos anos. Mas, é bom relembrar que é preciso manter equilíbrio”, afirma a nutricionista. 

 

A nutricionista explica que não é necessário tirar completamente essas refeições do cardápio. “Em alguns momentos é possível saborear alimentos mais calóricos, desde que a pessoa no geral tenha uma alimentação saudável. Porque, quanto mais você consome esse tipo de comida, mais o seu paladar prefere os sabores condimentados. Assim, a tendência é que vegetais e frutas que possuem o sabor mais discreto não agrade o paladar que já está mal-acostumado”.

 

Ela ainda alerta sobre a  importância ter um acompanhamento e optar por alimentos menos calóricos para evitar os problemas de saúde que podem surgir a curto, médio e longo prazo. Ou seja, é sempre melhor consumir alimentos naturais. “Nós recomendamos desembalar menos e descascar mais, ou seja, comer comida de verdade”, complementa a especialista.  

 

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV