últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

PEC pretende limitar carga tributária no Brasil em 30% do PIB

Da Redação, Bem Mais Brasília
Política | 08 de Outubro de 2019 - 15:50h

Deputado federal José Nelton (Podemos - GO) - Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

 

Em meio ao debate da reforma tributária, a bancada do Podemos na Câmara dos Deputados vai protocolar uma proposta de emenda à Constituição para limitar em 30% do PIB a carga tributária no Brasil. O objetivo é impedir que futuros governos, diante da queda de arrecadação, recorram à alta de impostos.

 

"A conta da má gestão e das crises políticas sempre acaba no colo da população. Com esse limitador na Constituição, governos terão que ser mais eficientes e evitar o desperdício de recursos públicos", prevê o líder do Podemos, deputado federal José Nelto (GO).

 

O parlamentar acredita que o primeiro ponto a ser discutido pela reforma tributária é a definição de um teto de impostos no país.

 

"Não se pode falar em reforma tributária sem estabelecer um limite constitucional sobre os impostos no Brasil. Acredito que 30% do PIB é o patamar máximo aceitável, como acontece em muitos países civilizados, atacando especialmente a tributação sobre o consumo", observa Nelto.

 

Para a deputada federal Renata Abreu (SP), presidente nacional do Podemos, impor um freio constitucional ao apetite do Executivo à criação de impostos trará segurança para novos investidores que desejam atuar no mercado brasileiro e gerar emprego.

 

"Com um teto tributário estabelecido, criaremos condições para a volta dos grandes investimentos na economia nacional, alavancando obras de infraestrutura e aquecendo o mercado de trabalho, hoje, com quase 13 milhões de desempregados", defende a deputada.

 

Atualmente, carga tributária brasileira é 36% do PIB, conforme afirmou o próprio ministro da Economia, Paulo Guedes. Em discurso na cerimônia de posse, Guedes chegou a projetar uma carga tributária de 20% do PIB como ideal. "Acima disso, é o quinto dos infernos", declarou.

 

Dados do Tesouro Nacional mostram que a evolução da arrecadação tributária no Brasil saltou de 17,41% do PIB, na década de 1960, para 22,43% do PIB, em 1988. Já em 1995, a carga era de 26,93% do PIB e, em 2006, 35,50% do Produto Interno Bruto.

 

Do total arrecadado no Brasil, 68,3% ficam com a União, 25,4% com os Estados e 6,3% com os municípios, de acordo com levantamento publicado, em 2019, pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

 

Pesquisa do ICDE/IBGE, em 30 países, mostrou que Austrália (27,3%), Suíça (27,1%), Estados Unidos (26,4%), Uruguai (26,3%) e Coréia do Sul (24,3%) são os que apresentam a menor carga tributária do mundo em relação ao próprio PIB.

 

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV