últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

Controle Patrimonial aliado dos gestores e do fisco

Existe a obrigação do controle patrimonial, entretanto, é desconhecida por parte dos gestores

 

Por Walber Almeida Xavier de Sousa

Artigos | 08 de Outubro de 2019 - 17:00h

Foto: Reprodução 

 

A importância do controle patrimonial sempre existiu, entretanto passou a ser mais relevante, após a mudança na legislação contábil em 2007 com a lei 11638/07. Geralmente o maior patrimônio das empresas (riqueza) é contemplado por bens que devem ser controlados por meio do Controle Patrimonial, (apenas exemplificando numa indústria o volume de máquinas produtivas, moldes, ferramentas, móveis, veículos, equipamentos de informática, entre outros; como saber o valor a localização o estado de conservação, entre outras informações). O Controle Patrimonial quando utilizado como ferramenta de Gestão relata essas e outras mais informações.

 

Existe a obrigação do controle patrimonial, entretanto, é desconhecida por parte dos gestores, uma vez que o Fisco pode vir a cobrar informações que somente serão possíveis de serem obtidas com a Gestão Patrimonial e muitas vezes, esses “controles” são realizados com planilhas de Excel, passíveis de erros e vulneráveis a alterações.

 

O Controle Patrimonial é uma ferramenta de Gestão utilizado por empresas públicas ou privadas que visa controlar de forma analítica os bens do Ativo Imobilizado (Máquinas, Veículos, Móveis e Utensílios, Equipamentos de Informática, Edifícios, Terrenos, entre outros), esse controle pode ser feito de forma gerencial somente ou também visando atender a legislação (Contábil) onde os bens são controlados fisicamente e monetariamente.

 

Os conceitos de Gestão estão a cada dia se atualizando, a transparência, sustentabilidade entre outros valores são cada vez mais conceituados no mercado de forma geral.

 

O Controle Patrimonial prioriza a transparência, o controle do Patrimônio da empresa, focando e lógico a atualização sempre que houver a necessidade, é possível obter informações de volume e monetárias por unidades/plantas, entre outras.

 

O controle patrimonial independente de qual seja a ferramenta utilizada somente tem a agregar a Gestão, entretanto, o Controle Patrimonial, além de uma ferramenta de apoio a Gestão é também uma ferramenta de apoio/suporte das informações ao Fisco, isso porque, mensalmente empresas se beneficiam da Depreciação Contábil (benefício fiscal), entretanto, não ter de forma analítica a composição dos valores contabilizados no Resultado da empresa pode com certeza trazer sérias complicações fiscais a empresa no que diz respeito a tributação de IRPJ e CSLL.

 

A grande vantagem que após a implantação do controle patrimonial é fácil a manutenção e pode ser administrada pela equipe interna (geralmente a Contabilidade ou Controladoria na empresa) a vantagem é que é possível administrar com precisão os bens utilizados por centro de custos, a manutenção identificada por planta ou mesmo centro de responsabilidades, além de poder cobrar os gestores baseado no Controle Patrimonial.

 

Atualmente auditorias, órgãos de fiscalização pública (tribunal de contas federal/estadual e municipal) e organizações certificadoras (ISO, ONA, entre outras) exigem que as empresas auditadas/certificadas apresentem laudos e controles patrimoniais realizados por empresas independentes para que possam validar e dar credibilidade aos certificados e demonstrativos a serem publicados.

 

Qual é o risco de não fazer o controle patrimonial?

 

O Fisco Federal tem o compromisso de não aumentar a carga tributária, diante disso, a possibilidade de fazer valer o cumprimento das leis atuais e em contrapartida somente beneficiar os contribuintes que se beneficiam da lei de forma correta, faz com que o Controle Patrimonial tenha ganhado relevância nos últimos anos. Somente estará amparado legalmente com os benefícios da Depreciação Contábil, quem tiver o Controle Patrimonial para justificar as despesas de depreciação por itens mensalmente.

 

Como o controle patrimonial pode afetar o planejamento orçamentário da empresa?

 

A Depreciação é um Custo/Despesas fixa da empresa, sua gestão é fundamental no dia a dia e também no planejamento orçamentário, visto que de posse do devido controle é possível definir se a empresa tem capacidade de expandir seu processo produtivo com os itens atuais ou necessitará de mais investimentos, além também de entender os benefícios que a empresa pode ter com a depreciação acelerada quando optar por utilizar 2º ou 3º turno, ou se beneficiando de benefícios (incentivos fiscais) da depreciação acelerada.

 

O controle patrimonial pode atuar para reduzir custos?

 

É comum as empresas que não dispõem do Controle Patrimonial realizar a Depreciação mensalmente de forma irregular no que diz respeito à legislação e com isso aumentar seus custos muitas vezes com patrimônios que não mais existem ou que estão em outras unidades, com isso destoando apurações em plantas diferentes. O devido Controle do Ativo Imobilizado da maior precisão a apuração dos custos e despesas da empresas para formação do preço de venda e também a devida apuração de resultado.

 

Como é feito o controle patrimonial?

 

O ideal é que a implantação seja realizada por empresas especializadas, para que as informações básicas necessárias sejam implementadas de forma padronizada. Uma vez em funcionamento o Controle Patrimonial pode e deve ser administrado pela equipe interna da empresa, entretanto para empresas que costumam ter movimentações relevantes (compras, baixas e transferências entre centros de custos ou unidades) é importante que seja realizado uma vez ao ano ou no máximo uma vez a cada dois anos um inventário para a atualização e validação da base Patrimonial.

 

Walber Almeida Xavier de Sousa é sócio da AXS Consultoria Empresarial, Consultor e Assessor em Gestão Empresarial e Conselheiro Empresarial. Formado em Ciências Contábeis, possui pós-graduação em Contabilidade Gerencial e Controladoria e MBA em Gestão Empresarial. Nos últimos 20 anos atuou em empresas de pequeno, médio e grande porte nas áreas de Controladoria, Controle Patrimonial e Finanças.

 

contato@axsconsultoria.com.br

Linkedin

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV