TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV

PARCEIROS:

Todos os direitos reservados.

últimas notícias.

Advogado Marco Sabino lança livro em Brasília

Maioridade não extingue obrigação de pagar pensão alimentícia

Paratleta, campeão brasileiro, precisa de cadeira de rodas funcional

“Os Bravos Nunca se Calam” será exibido no Festival de Cinema de Brasília

Organizações da sociedade civil irão debater propostas para um novo Pacto Federativo

Loja especializada em comida saudável chega a Águas Claras

1/5
Please reload

China registra em um mês 21 mil novos casos de hepatite C

Por RTP, Emissora Pública de Portugal 
Mundo | 06 de Setembro de 2019 - 08:57h

Foto: Reprodução/Internet 

 

A China enfrenta nova epidemia de hepatite C. Só em junho, foram identificados 21.419 novos casos. Apesar de existir cura para 90% dos casos, os infectados não têm acesso aos medicamentos.

 

Segundo o Centro de Controle e Prevenção da Doença da China, no ano passado o país registou 219.375 novos casos de hepatite C, mais 43% do que em 2010. A China é o país que enfrenta enfrentar a maior crise da doença atualmente.

 

A doença infeciosa, que pode provocar cirrose, câncer de  fígado ou morte prematura, tem atingido particularmente as zonas rurais - cerca de 8,9 milhões de pessoas no total, ou seja, 0,6% da população.

 

Apesar de existir cura para 90% dos casos, os medicamentos não são cobertos pelo seguro médico básico da China, o que impossibilita o acesso pela maioria da população.

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a China é o país responsável por mais de metade das mortes anuais por câncer de fígado (causado pela hepatite C) no mundo.

 

A transmissão da doença, por norma, ocorre da partilha de agulhas durante a utilização de drogas. O aumento do consumo de “crystal methamphetamin”, um dos principais narcóticos em circulação na China, tem contribuído em larga escala para o aumento do número de novas infeções, segundo as Nações Unidas.

 

Em Yi, uma das regiões da província de Sichuan, 2,8% da população têm hepatite C, quase cinco vezes mais do que a média nacional. Mas não é por acaso. Nessa área montanhosa é onde se localiza uma das mais importantes rotas de tráfico de droga.

 

Outra causa para a epidemia chinesa são as injeções médicas não esterilizadas. Em maio deste ano, 69 pacientes que se encontravam em diálise foram infectados por equipamentos não desinfetados.

 

Para agravar a situação, os pacientes infectados pela epidemia não estão recebendo os cuidados médicos que deviam. No ano passado, apenas 3,5% da população infectada receberam tratamento adequado, revela o Observatório Polaris.

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Advogado Marco Sabino lança livro em Brasília

Maioridade não extingue obrigação de pagar pensão alimentícia

Paratleta, campeão brasileiro, precisa de cadeira de rodas funcional

“Os Bravos Nunca se Calam” será exibido no Festival de Cinema de Brasília

Organizações da sociedade civil irão debater propostas para um novo Pacto Federativo

Loja especializada em comida saudável chega a Águas Claras

1/1
Please reload