últimas notícias.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/5
Please reload

Delegado Marcelo Freitas será o relator da reforma da Previdência

O presidente da Comissão, Felipe Francischini (PSL-PR) fez o anúncio na tarde de ontem (28).

 

Por Heloisa Cristaldo, da Agência Brasil 
Política | 29 de Março de 2019 - 01:02h

 [Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados]

 

Segundo Francischini, a CCJ receberá o ministro da Economia, Paulo Guedes, na próxima quarta-feira (3) para detalhar a proposta e tirar dúvidas dos parlamentares. No dia seguinte, quinta-feira (4), o colegiado receberá juristas.

 

A previsão do presidente da CCJ é que a leitura do parecer de Freitas aconteça na segunda semana de abril. Franciscini reiterou que o parecer da reforma da Previdência deve ser votado no 17 de abril.

 

“O consenso [em torno da escolha do nome de Freitas] foi criado porque a gente entende que, nós como PSL, representamos o presidente [da República] na Casa e temos a responsabilidade primeira com a aprovação do projeto na Casa”, disse Francischini. 

 

O anúncio de Marcelo Freitas como relator da CCJ foi feito ao lado do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e da líder do governo no Congresso, Joice Hasselman (PSL-SP). 

 

De acordo com Lorenzoni, o nome indicado para relatar a proposta de reforma da Previdência é “resultado de diálogo que o governo Bolsonaro construiu”. Segundo o ministro, o presidente da CCJ teve “maturidade e paciência” para esperar a construção do consenso em torno do nome. 

Delegado da Polícia Federal, Marcelo Freitas exerce o seu primeiro mandato na Câmara. O nome foi indicado uma semana depois do previsto por Francischini. 

 

Tramitação

 

A CCJ da Câmara é a porta de entrada da reforma da Previdência no Legislativo. A comissão analisará se a reforma proposta está em conformidade com a Constituição. Depois, o texto segue para discussão em comissão especial e, quando aprovado, é votado pelo plenário. Para ser aprovada, a medida precisa de apoio de dois terços dos deputados por se tratar de Proposta de Emenda à Constituição (PEC). Dessa forma, precisa ser aprovada por 308 deputados, em dois turnos de votação, para seguir para o Senado.

Please reload

comente.
recomendados para você.

O virtual está cada vez mais presente na nossa vida

OMS: mortes ligadas à covid-19 dispararam na Europa desde março

PGR se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Ministro da Justiça pede ao STF suspensão de oitiva de Weintraub

PF investiga desvio de verbas na Prefeitura de Uberaba

Governo de Goiânia deve liberar treinos de futebol em junho

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV