últimas notícias.

Show em formato drive-in terá como atração os Sertanejos Caio & Henrique

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

1/5
Please reload

40% dos brasileiros sofrem de bruxismo, segundo a OMS

A disfunção é mais comum em mulheres e pode estar ligado a fatores emocionais como ansiedade, estresse e até depressão

 

Da Redação, Bem Mais Brasília

Saúde | 19 de Março de 2019 - 20:43h

 [Foto: Divulgação]

 

Dor de cabeça, na face, nas têmporas ou no pescoço? Você pode estar sofrendo com bruxismo - hábito involuntário, que normalmente ocorre durante o sono, de ranger ou apertar os dentes, contraindo os músculos da mandíbula. As causas do bruxismo ainda não foram completamente esclarecidas, mas sua natureza multifatorial indica o envolvimento de fatores fisiopatológicos, psicossociais, hereditários e genéticos. Com inúmeras causas, essa desordem funcional pode estar associada a questões emocionais, inclusive ansiedade e estresse. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 30% das pessoas do mundo sofrem com a disfunção. Já no Brasil, o número é equivalente a 40% da população. De acordo com a cirurgiã dentista Ianara Pinho, a condição atinge principalmente mulheres, mas ocorre com muita frequência também em crianças e adolescentes.

 

“Infelizmente, na maioria dos casos, o diagnóstico é feito tardiamente, o que dificulta a recuperação até mesmo dos dentes, que tendem a desgastar-se com o bruxismo”, alerta Iarana Pinho.

 

A especialista também explica que os pacientes devem ficar de olho nos seguintes sintomas: dor na mandíbula, dor de cabeça, principalmente nas têmporas, dor no pescoço, dor próxima ao ouvido, dentes desgastados, fraturados, lascados ou até soltos. Outros sinais mais graves também incluem: transtornos alimentares, ansiedade, estresse, insônia e até depressão.

 

Além disso, a dentista alerta que algumas substâncias como: álcool, nicotina, cafeína podem intensificar a disfunção.

 

Tratamento

 

Ianara  conta que para tratar o bruxismo é preciso, inicialmente, analisar a condição em que a arcada está e quais são as possíveis causas da disfunção. A placa de acrílico é uma das opções e pode ajudar no controle do desgaste e da dor muscular. A fisioterapia facial ou quiropraxia também podem ajudar. Com o avanço dos estudos na área de disfunção têmporo-mandibular (DTM), outras técnicas incluindo o laser já estão sendo utilizadas para alívio do desconforto.

 

Cirurgia

 

Quando há necessidade da cirurgia? Como o bruxismo está relacionado ao apertamento da mandíbula, Ianara explica que há casos em que esse travamento dos dentes faz com que a articulação temporomandibular (ATM), articulação que liga o maxilar à mandíbula, pode se soltar ou se desgastar de maneira severa. Então, nesses casos, é necessário fazer a correção cirúrgica.

 

Bruxismo diurno

 

Normalmente, a disfunção ocorre dormindo e involuntariamente.  Porém, existem casos em que o ranger dos dentes ocorre durante o dia, muitas vezes relacionado às atividades que exigem esforço físico ou muita concentração. De qualquer forma, o diagnóstico precoce ainda é o melhor tratamento, pois evita desgastes e dores orofaciais severas.

 

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Show em formato drive-in terá como atração os Sertanejos Caio & Henrique

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV