últimas notícias.

Show em formato drive-in terá como atração os Sertanejos Caio & Henrique

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

1/5
Please reload

Deus Não Está Morto: universitário defende a fé diante de professor

Estudante cristão defende a fé e a existência de Deus
diante de professor ateu em universidade

 

Por Saturnino Júnior, do Bem +Brasília
Coluna Cinegrafia | 16 de Fevereiro de 2018, 21:45h

 Mesmo não possuindo grandes atores no elenco, a trama arrecada mais de US$ 9 milhões de dólares, segundo o portal Gospel Prime. Foto: Reprodução/Internet  

 

O filme gira em torno da história do estudante de Direito Josh Wheaton (Shane Harper), recém-chegado à universidade, que entra em conflito com o professor de Filosofia Jeffrey Radisson (Kevin Sorbo) por, logo no primeiro dia de aula, ele entregar aos alunos um papel em branco e pedir que escrevam “Deus está morto”.

 

A trama começa a ganhar fortes emoções quando Josh se recusa a escrever o solicitado pelo professor, pois não pode ir contra a própria crença – ele é cristão. Diante da recusa de Josh de seguir a orientação dada, o carrasco professor de Filosofia afirma que irá retirar 30% da nota final dele caso não consiga provar a existência de Deus. Isso causou um verdadeiro alvoroço na sala de aula.

 

Mesmo sendo um filme lançado há quatro anos e uma história ambientada nos Estados Unidos, essa é a realidade em várias universidades brasileiras. Quando o estudante é cristão, seja calouro ou não, quase sempre se torna alvo de professores ateus militantes que querem, a todo custo, empurrar goela abaixo os próprios conceitos e mentalidades deturpadas a respeito de Deus. O que classifico como antiéticos, pois, ao se comportarem dessa maneira, acabam desvalorizando o ofício do próprio educador que é ensinar e transmitir conhecimento aos educandos. Até acredito na importância de usar o ambiente acadêmico para debater e discutir questões relevantes que ocorrem na sociedade, porém essa ocasião não pode ser usada como desculpa para agir de maneira preconceituosa ou agressiva em relação à fé professada pelos estudantes.

 

 Foto: Reprodução/Ccine 10 

 

Assim, a trama mostra, de maneira real, situações vividas por muitos universitários perante professores que não aceitam ser contrariados. O protagonista utiliza vários recursos filosóficos, artigos científicos e livros para provar a existência de Deus, entre eles o filósofo Nietzsche e  o físico Stephen Hawkin.

 

O diretor do filme, Harold Cronk, juntamente com os roteiristas Chuck Konzelman e Cary Solomon não dão espaço para tolerância ou qualquer aceitação em relação à fé cristã dentro do contexto social. O longa-metragem foi lançado em 2014 e tem duração de 113 minutos. Excelente filme para assistir sozinho ou acompanhado de amigos e familiares. A classificação é 10 anos.

 

Deus Não Está Morto é um filme gospel produzido pela produtora Pure Flix Entertainment e distribuído pela Graça Filmes no Brasil pertencente a Igreja Internacional da Graça de Deus. Na trilha sonora estão as bandas pop cristãs Stellart Kart (Estados Unidos) e Newsboys (Austrália).

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Show em formato drive-in terá como atração os Sertanejos Caio & Henrique

CNJ propõe regionalização e rodízio para juiz de garantias

Aneel dispõe de R$ 16,1 bi para ajudar distribuidoras na pandemia

Governo publica edital para pavimentação da BR-319, no Amazonas

Conselho autoriza suspensão de pagamentos da área de mobilidade urbana

Confiança do consumidor cresce 9 pontos em junho, diz FGV

1/1
Please reload

TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV