Seca prejudica fornecimento de energia elétrica no Brasil

emitido em:

São Paulo (AFP)

A pior seca do Brasil em quase um século ameaça o fornecimento de eletricidade e safras vitais, elevando os preços da energia e dos alimentos em um momento em que o país esperava começar a se recuperar das consequências econômicas da pandemia do coronavírus.

O país de 213 milhões de habitantes depende da energia hidrelétrica para dois terços de sua eletricidade, mas as barragens vitais estão quase no nível mais baixo, com menos de um quarto cheias.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro exortou os brasileiros a “desligar as luzes em casa” para conservar energia, e na terça-feira o governo aumentou os preços da eletricidade em 7 por cento, em parte para cobrir novas usinas e importações de energia.

“Nós somos o limite”, disse Bolsonaro, que está se preparando para a reeleição em 2022 em meio a baixas taxas de popularidade recorde e rejeição generalizada de como lidou com a crise da Covid-19, e agora também enfrenta um clima severo que mostra pouco. sinal de vazante.

Os níveis de água no Brasil devem continuar a piorar em setembro, de acordo com a operadora de rede elétrica ONS.

A Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA) anunciou uma “aguda escassez de recursos hídricos”, válida até novembro, para a bacia do rio Paraná, no coração da capacidade hidrelétrica do Brasil.

Em um esforço para ficar à frente da demanda e evitar interrupções, o Brasil adicionou esta semana uma nova usina de biomassa, três geradores fotovoltaicos e quatro parques eólicos à sua rede elétrica.

Mas grande parte do custo recaiu sobre os consumidores que já sofrem com o alto desemprego e a alta inflação no país com o segundo maior número de mortes causadas pela pandemia no mundo.

READ  Banco Central do Brasil eleva taxa de juros e promete aumentar junho | Notícias de negócios e economia

– Comer menos –

“Tive que cortar muitas coisas em casa, algum tipo de comida. Reduzi as vezes que meus filhos usam o telefone para economizar dinheiro”, disse Marisa das Doris, consumidora doméstica, à AFP em sua casa em Mateus Lim. no leste do Brasil.

Os aumentos de preços estão elevando a inflação, que atingiu 8,99% com relação ao ano anterior em julho – quase três vezes o limite da meta do banco central para 2021.

Os níveis de água no Brasil devem continuar a se deteriorar em setembro de 2021, de acordo com a operadora de rede nacional, ONS Douglas Magno, AFP

“A energia é um fator importante na inflação porque se reflete em todas as etapas da cadeia produtiva de todos os bens e serviços e seu impacto na renda das famílias”, disse Nevaldi de Castro, pesquisador da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Na terça-feira, o Instituto Nacional de Estatísticas do Brasil, IBGE, disse que a economia teve um desempenho pior do que o esperado no segundo trimestre de 2021, contraindo 0,1%.

A seca também ameaça o vital setor agrícola do Brasil.

A produção de café deve cair 25% nesta temporada, com alimentos básicos como milho, cana-de-açúcar, laranja e feijão preto em risco.

– “ Esforço urgente ‘-

Mas de Castro disse que, a menos que o padrão de chuvas mude, os níveis das barragens não serão restaurados tão cedo.

“Se as chuvas continuarem abaixo da média … haverá um descompasso entre a oferta e a demanda de eletricidade nos horários de pico de outubro”, acrescentou.

O ministro da Energia do Brasil, Bento Albuquerque, pediu a todos que “façam esforços urgentes” para reduzir o uso de eletricidade, dizendo que a seca custou uma capacidade de geração hidrelétrica equivalente a cinco meses de consumo em uma grande cidade como o Rio de Janeiro.

Especialistas afirmam que a seca no sul do Brasil é causada principalmente pelo fenômeno climático La Niña, que provoca o resfriamento periódico das temperaturas da superfície do Pacífico, enquanto no centro-oeste apontam o desmatamento da Amazônia.
Especialistas afirmam que a seca no sul do Brasil é causada principalmente pelo fenômeno climático La Niña, que provoca o resfriamento periódico das temperaturas da superfície do Pacífico, enquanto no centro-oeste apontam o desmatamento da Amazônia. Douglas Magno, AFP / Arquivo

O governo federal está tentando cortar o uso de eletricidade no serviço público em 10-20 por cento até abril do próximo ano.

READ  Os corpos estão se acumulando novamente na Bolívia, enquanto a América Latina sofre uma onda prolongada e mortal de coronavírus.

Algumas cidades de médio porte também começaram a racionar recursos valiosos, incluindo Ito, no estado de São Paulo, onde desde julho os moradores têm acesso à água encanada em casa apenas a cada dois dias.

Os brasileiros temem uma repetição do doloroso racionamento de eletricidade durante a seca anterior em 2001. Nenhuma medida foi proposta até agora, mas o governo não a descartou.

“É fundamental obter resultados a curto prazo porque cada dia de atraso reduz o impacto das medidas que procuram mitigar o risco de falta de energia eléctrica”, afirmou Luis Barroso da PSR Energy Consulting and Analytics.

Especialistas afirmam que a seca no centro-oeste brasileiro foi causada em parte pelo desmatamento da Amazônia, que reduziu a geração de nuvens e precipitação.

O Bolsonaro de extrema direita é cético em relação às mudanças climáticas, encorajou a comercialização da Amazônia e acelerou a destruição da floresta durante seu reinado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *