São Paulo lança o primeiro desconto à vista do Brasil para produção internacional | Notícias

cidade do brasil São Paulo lança o primeiro desconto à vista do país para produção internacional que verá projetos elegíveis com gasto doméstico mínimo de US$ 500.000 e poderá chegar a até US$ 2,5 milhões

A São Paulo Film Agency e a agência de audiovisual Spcine anunciaram nesta terça-feira (3 de dezembro) a nova iniciativa no Ventana Sur, em Buenos Aires. A medida, segundo ela, visa dobrar as mais de 1.000 produções audiovisuais filmadas a cada ano em São Paulo. Também permitirá que a cidade concorra com a Cidade do México, o centro latino-americano que historicamente atraiu mais equipes de filmagem,

“Como já estávamos em segundo lugar, sabíamos que estávamos maduros o suficiente para receber mais produções estrangeiras”, disse a presidente e diretora da Spcine, Laís Bodanzky. A região também inclui Bogotá, na Colômbia, e Buenos Aires, na Argentina, como destinos fortes,

O programa de desconto à vista compensará de 20% a 30% do valor total gasto em longas-metragens internacionais, animações, séries e campanhas publicitárias filmadas total ou parcialmente em São Paulo. Haverá também um incentivo de desconto à vista que oferece as mesmas condições para produtos nacionais de apelo internacional.

“Teremos uma categoria nacional, separada da internacional, porque entendemos o momento político que nosso país está enfrentando, onde os recursos podem ser cortados de toda a produção brasileira ou pode demorar mais para o governo federal aprovar”, ele acrescentou, referindo-se às tentativas de controlar o financiamento de filmes brasileiros pelo presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro.

O anúncio desta terça-feira também forneceu uma linha de financiamento para uma produção internacional que inclui São Paulo no roteiro (por exemplo, um personagem da cidade) sem necessariamente ser filmado lá. Além disso, a Spcine concederá um prêmio de serviços de pós-produção de US$ 120.000 – dividido em até três projetos na América Latina – pelo trabalho realizado em instalações em São Paulo.

READ  Reino Unido contesta a alegação de Bolsonaro do Brasil de que Johnson buscava um acordo alimentar emergencial

As produtoras paulistas já respondem por 25% da produção brasileira. Desde maio de 2016, quando a São Paulo Film Commission foi criada como uma divisão da Spcine, mais de 3.300 produções (incluindo produções nacionais e estrangeiras) foram filmadas na cidade, gerando cerca de US$ 400 milhões em receita. Casos recentes incluem a série espelho preto E a sentimento 8.

Invadir Foi o mais recente caso de grande produção a ser tratado com sucesso, disse Bodanzky, referindo-se à Avenida Paulista, um símbolo de prestígio do poder político e econômico da cidade, que foi fechada no domingo passado para acomodar as filmagens da série distópica de ficção científica. Produzido por Keanu Reeves. Invadir Estreia na Netflix em 2020.

As credenciais de produção de São Paulo já são ótimas. Bodanzky observou a infraestrutura existente e a força de trabalho qualificada de mais de 1.500 empresas de produção locais, bem como uma variedade de locais. Lar de mais de 20 milhões de pessoas, a cidade oferece um horizonte distinto do centro da cidade, estilos arquitetônicos modernos e coloniais, natureza urbana, uma cena de arte de rua incluindo paredes de grafite e vistas futuristas.

“Nossa diversidade étnica também pode ser um fator positivo”, acrescentou Bodanzki, referindo-se à mistura de etnias em São Paulo, graças a uma enorme mistura de afro-brasileiros e descendentes de imigrantes europeus, japoneses e do Oriente Médio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.