Putin adverte a Finlândia que a adesão da Finlândia à OTAN prejudicará as relações

Helsinque (AFP) – O presidente russo, Vladimir Putin, alertou seu colega finlandês neste sábado que as relações entre os dois vizinhos podem ser “afetadas negativamente” se a Finlândia seguir em frente com seus planos de se candidatar à adesão à Otan.

O serviço de imprensa do Kremlin disse em um comunicado que Putin disse a Sauli Niinisto que o abandono da Finlândia de sua “política tradicional de neutralidade militar seria um erro porque não há ameaças à segurança da Finlândia”.

“Tal mudança na política externa do país pode afetar negativamente as relações russo-finlandesas, que foram construídas no espírito de boa vizinhança e parceria por muitos anos e foram mutuamente benéficas”, acrescentou o comunicado.

A resposta veio depois que Niinisto disse a Putin em uma conversa telefônica que o país escandinavo militarmente não alinhado, que tem uma história complexa com seu enorme vizinho oriental, “decidir se candidatar à adesão à Otan nos próximos dias”.

O gabinete de Niinisto disse em comunicado que o chefe de Estado finlandês disse a Putin como o ambiente de segurança finlandês mudou drasticamente após a invasão da Ucrânia por Moscou em 24 de fevereiro.Ele citou as exigências da Rússia para que a Finlândia se abstenha de se tornar membro da Aliança Militar Ocidental de 30 países.

Evitar tensões era importante”, disse Niinistö, que é presidente da Finlândia desde 2012 e um dos poucos líderes ocidentais que tiveram diálogos regulares com Putin na última década.

Niinistö observou que já havia dito a Putin em sua primeira reunião em 2012 que “cada país independente fortalecerá sua segurança ao máximo”.

“Este ainda é o caso. Ao ingressar na OTAN, a Finlândia fortalecerá sua segurança e assumirá suas responsabilidades.”

READ  Alemanha deixa de pagar por testes de vírus para pessoas que optam por não vacinar

Niinistö enfatizou que a Finlândia, apesar de sua possível futura adesão à OTAN, quer continuar a lidar com a Rússia bilateralmente em “questões práticas decorrentes da vizinhança fronteiriça” e espera lidar com Moscou “de maneira profissional”.

De acordo com o comunicado do Kremlin, os dois líderes também discutiram a “operação militar russa” na Ucrânia e a possibilidade de alcançar uma solução política. Putin disse que as negociações entre Moscou e Kiev foram suspensas devido à “falta de interesse da Ucrânia em conduzir um diálogo sério e construtivo”.

O escritório de Niinisto disse que o telefonema foi feito por iniciativa da Finlândia.

A Finlândia compartilha uma fronteira de 1.340 quilômetros (830 milhas) com a Rússia, a fronteira mais longa de qualquer membro da União Europeia.

Niinisto e o primeiro-ministro finlandês Sanna Marin endossaram na quinta-feira conjuntamente a oferta de seu país à Otan e recomendaram que “a Finlândia deve solicitar a adesão à OTAN sem demora” para garantir sua segurança.

Um anúncio oficial de Niinistö e Marin sobre a intenção da Finlândia de se candidatar à adesão à OTAN é esperado no domingo. Os sociais-democratas no poder de Marin aprovaram o pedido de adesão no sábado, abrindo caminho para uma votação parlamentar na próxima semana para endossar a medida. Espera-se que passe por um apoio esmagador. O pedido oficial de adesão é então submetido à sede da OTAN em Bruxelas.

A vizinha Suécia está se preparando para tomar uma decisão sobre sua posição sobre a Otan no domingo em uma reunião do Partido Social Democrata, liderada pela primeira-ministra Magdalena Andersson.

Um obstáculo potencial para a adesão da Finlândia e da Suécia à aliança veio da Turquia, membro da Otan, cujo chefe disse na sexta-feira Ele “não era a favor” da ideia.

READ  A maioria dos europeus acredita que a era de ouro da Alemanha acabou com a saída de Merkel

Recep Tayyip Erdogan observou o apoio na Suécia e em outros países escandinavos aos militantes curdos – que a Turquia considera terroristas.

O ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto, disse no sábado que já havia chamado seu colega turco, Mevlut Cavusoglu, para “reduzir as tensões”.

“Tenho certeza de que também encontraremos uma solução para este item”, disse ele a repórteres no início de uma reunião informal dos ministros das Relações Exteriores da Otan em Berlim na noite de sábado.

O presidente dos EUA, Joe Biden, teve uma ligação conjunta na sexta-feira com Niinisto e Andersson, na qual, de acordo com um comunicado da Casa Branca, ele “enfatizou seu apoio à política de portas abertas da OTAN e o direito da Finlândia e da Suécia de determinar seu próprio futuro, política externa e medidas de segurança.”

___

Frank Jordan em Berlim contribuiu para este relatório.

___

Acompanhe a cobertura da Associated Press sobre a guerra na Ucrânia em https://apnews.com/hub/russia-ukraine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.