Primárias presidenciais do PSDB de centro-direita no Brasil vacilam devido ao fracasso na implementação | Força 790 KFGO

BRASÍLIA (Reuters) – O Partido Social-democrata do Brasil não pôde nomear no domingo um candidato à presidência para as eleições do ano que vem devido a uma falha na implementação da votação, atrasando uma decisão entre os principais candidatos João Doria e Eduardo Leit.

O partido de centro-direita disse que decidiu suspender a votação até uma data posterior, depois que uma falha no aplicativo bloqueou o acesso de muitos dos 44.700 membros registrados para votar, incluindo figuras como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Um porta-voz de Doria, governador do estado de São Paulo, disse ser favorável à retomada da votação nesta semana, enquanto Leyte, o governador do Rio Grande do Sul, quer que seja adiada até fevereiro.

O partido disse em um comunicado que decidirá quando retomar a votação em uma reunião no final do domingo.

O PSDB governou o Brasil de 1995-2002 durante os dois períodos de Cardoso que modernizaram a economia e iniciaram programas de bem-estar social que foram posteriormente continuados por governos de esquerda.

O papel do partido na política brasileira diminuiu desde então, e agora ele ocupa a metade das cadeiras que ocupava há uma década no Congresso brasileiro.

Nas eleições de 2018, vencidas pelo presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, o candidato do Partido Social-democrata, Geraldo Alckmin, obteve apenas 4,8% dos votos.

O partido, que mudou para a direita desde a posse, espera aumentar seu perfil selecionando um candidato que poderá ser um substituto intermediário em 2022 para Bolsonaro e o ex-presidente de esquerda Luís Inácio Lula da Silva, que teve uma vantagem confortável em primeiras pesquisas de opinião, embora ele ainda não tenha anunciado sua candidatura.

READ  'Eles têm uma opinião muito clara' - O técnico do Brasil, Tite, diz que alguns jogadores se opõem à Copa América em casa

(Reportagem de Anthony Buddle; Edição de Peter Cooney)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *