Portugal exige teste COVID e prova de vacinação aquando do check-in no hotel

Por Catarina Dimoni e Victoria Waldersi

LISBOA (Reuters) – O governo português anunciou quinta-feira que os turistas em Portugal terão de apresentar resultado negativo no teste COVID-19, certificado de vacinação ou prova de recuperação para se hospedar em hotéis ou outros alojamentos de férias, visto que as infecções continuam a aumentar.

O número de novos casos diários em Portugal aumentou de forma constante nas últimas semanas, voltando aos níveis registrados pela última vez em fevereiro, quando o país estava sob um bloqueio estrito. Aproximadamente 90% dos casos são do tipo delta mais contagioso.

Com a propagação do Delta Variável, o país está lutando para salvar a normalmente movimentada temporada de verão.

Serão também exigidos exames negativos, certificados de vacinação ou comprovativo de recuperação para comer no interior de restaurantes em 60 concelhos de risco, incluindo Lisboa e a cidade do Porto, nas sextas-feiras à noite e aos fins-de-semana.

“Por muito tempo, a única medida que tomamos de nossa ação foi limitar a atividade econômica”, disse a ministra Mariana Vieira da Silva. “Com o certificado digital e a disponibilidade frequente de testes, temos outras formas de garantir a segurança.”

Os turistas e clientes em restaurantes podem usar o certificado digital COVID-19 da UE. O ministro disse que os testes rápidos de antígenos também serão válidos e podem ser fornecidos pelos hotéis no momento do check-in. As novas regras entram em vigor no sábado.

Crianças menores de 12 anos acompanhadas pelos pais ou responsável estão isentas.

A Associação Portuguesa de Restauração afirmou que “já existiam muitas regras e restrições” que podiam afastar os clientes.

“Isso pode destruir o raio de esperança de muitos empresários”, disse ela.

READ  O GP de Portugal deu luz verde para preencher o terceiro lugar vago na corrida de Fórmula 1 de 2021

Clientes e empresas que infringirem as regras estão sujeitos a multas até 500 e 10.000 euros, respetivamente.

A medida permitirá que os restaurantes reabram para o jantar no sábado e no domingo em áreas de alto risco, que foram forçadas a fechar mais cedo nos dois finais de semana anteriores.

O toque de recolher nocturno, já em vigor em 45 concelhos, será alargado para mais 15, incluindo Faro, a principal cidade do célebre sul do Algarve.

Portugal, com uma população de 10 milhões, notificou mais de 3.000 casos de coronavírus por dia na quinta-feira, elevando o total desde o início da pandemia para 899.295.

Os casos começaram a aumentar gradualmente depois que Portugal abriu as portas a visitantes da União Europeia e da Grã-Bretanha em meados de maio. Mas as mortes diárias ainda estão bem abaixo dos níveis de fevereiro, com novos casos relatados principalmente entre jovens adultos não vacinados.

(Reportagem de Catarina Dimoni, Victoria Waldrusy e Sergio Goncalves; Reportagem adicional de Patricia Vicente Roa; Edição de Victoria Waldrusy e Giles Elgood)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *