Polícia recupera réptil voador pré-histórico em condições incríveis

Uma batida policial no Brasil revelou um dos fósseis de pterossauros mais bem preservados de todos os tempos. De acordo com a polícia, o fóssil vem de uma batida policial de 2013 em uma série de armários que escondiam fósseis e outros artefatos arqueológicos. De acordo com a legislação brasileira, os fósseis são considerados parte da história natural e geológica do país, são propriedade do Estado, portanto seu comércio é estritamente regulamentado e quase totalmente proibido. para cada cnet, os restos fossilizados pertencem à fita adesiva, um pterodáctilo desdentado do início do período Cretáceo que tinha uma grande crista (parcialmente feita de tecido mole) acima de sua cabeça.

Aparentemente, o fóssil continha mais de 90% do esqueleto no local, bem como algum tecido mole ao redor dos ossos, tornando-o o exemplo mais bem preservado de seu tipo no mundo.

Diz Victor Beccari, co-autor do livro Um estudo sobre a descoberta foi publicado quarta-feira Na revista PLOS One.

Em 2013, o fóssil foi encontrado, e 3.000 exemplares preservados em unidades de armazenamento foram recuperados em três estados brasileiros. Após a batida, as amostras foram levadas ao Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo para estudo.

De acordo com os cientistas, os pterossauros em geral viveram há 228 milhões de anos e, recentemente, 66 milhões de anos. A história da CNet mostra que esse espécime específico se originou na Formação Crato, na Bacia do Araripe, uma região rica em fósseis no Nordeste do Brasil que remonta a um período do período Cretáceo há cerca de 115 milhões de anos.

Os restos mortais foram encontrados preservados em seis lajes de calcário amarelo, que conseguiram preservar sua envergadura de 2,5 metros e quase todo o seu esqueleto.

READ  Cientistas descobriram vida marinha na Antártica presa sob o gelo por meio século

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *