Petrobras brasileira diz que perdeu 10 anos por não explorar a margem tropical – Eurasia Review Magazine

Bruno de Freitas Moura

Magda Chamberriard, CEO da Petrobras, criticou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(IBAMA) pelos atrasos na permissão da exploração de petróleo na Margem Equatorial, área na costa brasileira que foi designada como novo “pré-sal”. por causa do seu petróleo. Capacidades de produção.

“Já perdemos dez anos”, lamentou Chamberillard, referindo-se ao processo de licitação para explorar a área que ocorreu em 2013.

A margem tropical estende-se desde o litoral do estado do Rio Grande do Norte até o estado do Amapá. A potencial exploração de petróleo nesta região, que inclui a foz do rio Amazonas, tem atraído críticas de ambientalistas preocupados com potenciais danos ambientais.

A Petrobras tem permissão para perfurar na costa do Rio Grande do Norte, mas Obama rejeitou esforços exploratórios na parte norte do país.

Atraente

Na quarta-feira (12 de junho), Chamberillard anunciou que a Petrobras pretende realizar uma reunião com o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), órgão de assessoramento do presidente do país que formula políticas e diretrizes energéticas, para fazer uma apresentação sobre o compromisso da empresa com segurança e “excelência” na produção de petróleo. Esta apresentação destacará os esforços da Petrobras para garantir a conservação ambiental e apoiar as comunidades afetadas.

“Estamos explorando a área do pré-sal, no litoral de Ipanema, Búzios e Angra dos Reis, e todos os interessados, incluindo a comunidade, prefeitos, deputados estaduais e federais, estão satisfeitos com os resultados e o desenvolvimento gerado por isso. a exploração e a produção beneficiam a todos”, disse ela, lembrando aos destinos turísticos do litoral do Rio de Janeiro.

Desde o final de maio, quando assumiu a presidência da Petrobras, Magda Chamberriard defende a exploração de petróleo na margem tropical como alternativa aos futuros declínios na produção de petróleo nos campos do pré-sal, um ciclo natural da indústria petrolífera. “É uma questão de segurança nacional”, acrescentou ela.

READ  A mina da Braskem no Brasil corre risco de colapso à medida que o naufrágio acelera

O CEO da estatal fez as declarações durante a Cúpula de Prioridades da Iniciativa de Investimento Futuro, evento patrocinado pelo governo da Arábia Saudita. A cúpula reuniu personalidades internacionais dos setores público e privado no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

Na abertura do encontro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva também manifestou seu apoio à exploração de petróleo na margem tropical.

“Quando começarmos a explorar a margem tropical, acredito que daremos um salto extraordinário de qualidade. Pretendemos fazer tudo de forma legal, respeitando o ambiente e todas as regulamentações. Não perderemos nenhuma oportunidade de ajudar este país a crescer”, observou o Presidente. .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *