Parent Outback Steakhouse está considerando vender seus restaurantes no Brasil

A Bloomin já explorou a venda do Outback brasileiro em 2020. | Imagem: Shutterstock

A Bloomin’ Brands, controladora da Outback Steakhouse, está mais uma vez explorando alternativas estratégicas para seus negócios no Brasil, incluindo a venda ou refranqueamento de suas operações no país.

A Bloomin’, com sede em Tampa, possui 159 outbacks de propriedade da empresa no Brasil, onde o conceito de jantar casual com tema australiano é muito popular. Esses restaurantes têm sido um ponto positivo consistente para o Bloomin ‘nos últimos anos.

A empresa também possui cerca de trinta restaurantes Carrabba’s Italian Grill (conhecido no Brasil como Abbraccio Cucina Italiana) e Aussie Grill no país.

A Blooming já buscou a venda de sua divisão no Brasil antes e supostamente reduziu o campo a três licitantes em fevereiro de 2020. Na época, o negócio estava avaliado em cerca de US$ 472 milhões, de acordo com Relatório da Reuters.

Mas interrompeu esses esforços após o surgimento do vírus Corona. Agora a pandemia está diminuindo, os negócios estão crescendo no Brasil e a empresa está novamente avaliando suas opções.

“É hora de dar uma olhada para ver se este é o momento certo para franquear novamente o negócio”, disse Dave Deno, CEO da Bloomin’, a analistas na terça-feira. “É um ótimo negócio, não precisamos vendê-lo, mas esperamos a avaliação certa para ele.”

Ele disse que é muito cedo para dizer o que a Bloomin poderia fazer com os recursos do negócio, mas que forneceria fundos significativos para pagar dívidas, recomprar ações ou investir em empresas norte-americanas.

O Outback abriu seu primeiro restaurante no Brasil, no Rio de Janeiro, em 1997, e a marca encontrou um público receptivo no país amante da carne bovina. Em 2023, a Bloomin’ abriu 16 novas áreas remotas no Brasil, e as vendas mesmas lojas aumentaram 5,5% ano a ano.

READ  O Brasil tem visto o maior número de incêndios em junho na floresta amazônica desde 2007

A oferta potencial surge num momento em que os negócios da Bloomin nos EUA continuam a enfrentar ventos contrários. No primeiro trimestre encerrado em 31 de março, as vendas nas mesmas lojas do Outback nos EUA caíram 1,2% ano após ano; As ações da Carabba subiram 0,4%. As ações do Bonefish Grill caíram 4,9%. As ações da Fleming caíram 2%. As vendas mesmas lojas no Brasil caíram 0,7%.

Os executivos culparam o mau tempo em Janeiro e a desaceleração da procura dos consumidores de baixos rendimentos pelas fracas vendas internas. Mas eles observam que os resultados estão melhorando a cada mês do trimestre e esperam que o Comp Outback se torne positivo durante o período atual.

O segmento de serviço completo sofreu com o declínio do tráfego, à medida que os consumidores preocupados com os preços recorrem a opções mais acessíveis. Em um esforço para aumentar o tráfego, o Outback está investindo em marketing, valor, redesenho de restaurantes e refeições externas.

A empresa com sede em Orlando está sob pressão do investidor ativista Starboard Value para fazer mudanças no Outback e melhorar o retorno aos acionistas. A Starboard acredita que a empresa, uma das maiores operadoras de restaurantes casuais do mundo, está subvalorizada em comparação com seus pares.

Os membros ajudam a tornar o nosso jornalismo possível. Torne-se membro do Restaurant Business hoje e obtenha benefícios exclusivos, incluindo acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Registre-se aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *