Os ganhos da Telefonica Brasil no segundo trimestre superaram as expectativas; unidade de planos de fibra

São Paulo (Reuters) – Os resultados do segundo trimestre da Telefonica Brasil SA foram pressionados pelo impacto do surto do coronavírus na economia, mas ainda superaram as expectativas, uma vez que as operações começaram a melhorar em junho.

FOTO DO ARQUIVO: Logomarca do escritório da companhia telefônica brasileira Telefonica, que não está mais em operação, é vista em São Paulo, Brasil, em 21 de dezembro de 2017. REUTERS / Leonardo Pinassato

A maior empresa de telecomunicações sem fio do Brasil, quarta-feira, registrou um lucro líquido trimestral de 1,113 bilhões de reais ($ 215,98 milhões), uma queda de 21,6% em relação ao ano passado, mas acima das estimativas acordadas de 1,008 bilhão de reais arrecadados pela Refinitiv.

“Foi um cenário difícil, pois a desaceleração econômica atingiu nossos negócios e gerou dúvidas … abril foi particularmente difícil, maio foi um pouco menor e as coisas começaram a melhorar a partir de junho”, disse o CEO Christian Jbara a repórteres.

A subsidiária local da espanhola Telefonica, que opera sob a marca Vivo, reportou uma queda de 5,1% na receita líquida trimestral, impulsionada por serviços móveis e fixos, enquanto o fechamento de lojas reduziu as vendas de smartphones em 41%.

No entanto, Gebara destacou que 80% das lojas da Vivo já reabriram e disse que a procura de serviços móveis, especialmente pré-pagos, está a aumentar.

As ações da Telefonica Brasil caíram 0,6% a 50,66 riais, após alta de 3% na abertura.

Analistas do BTG Pactual viram os resultados da Vivo como “resilientes”, destacando um “fluxo de caixa livre significativo” de OMR 2,77 bilhões apoiado por menores gastos de capital.

A operadora está estudando alternativas para acelerar a expansão de sua rede de fibra enquanto limita os investimentos.

READ  Banco do Brasil fortalece unidade de Miami com contratação de assessor tripartite

Em um processo separado, a Vivo disse que planeja criar uma unidade autônoma para construir e oferecer uma rede de fibra neutra para clientes de atacado. Os analistas do Credit Suisse elogiaram a medida, dizendo que ela poderia criar uma estrutura de capital mais eficiente.

A controladora Telefónica será a primeira parceira da Vivo no novo carro, mas buscará pelo menos outro investidor até o final do ano, segundo Gebara.

“O objetivo dessa unidade é começar a operar em 2021 e atingir 5 milhões de residências em quatro anos”, disse o CEO.

A Vivo também está disputando com as rivais TIM Participações SA e a Claro da América Móvil pela falida unidade móvel da Oi. Os três fizeram uma nova oferta de 16,5 bilhões de riais na noite de segunda-feira, que Jabara descreveu como uma oferta “razoável”.

(Reportagem de Gabriella Melo; Edição de Kirsten Donovan e Bernadette Baum)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *