O projeto visa finalizar os negócios brasileiros de Niemeyer no Líbano

Thais Souza
[email protected]

São Paulo – em TrípoliLíbano, um dos edifícios projetados pelo arquiteto brasileiro na década de 1960 Oscar Niemeyer Ainda está incompleto. Este é um fato que um grupo de artistas agora quer mudar. Ativistas sociais e culturais se uniram para criar uma única iniciativa artística JV, responsável por projeção única. Seu objetivo é arrecadar fundos para a reabilitação Teatro Circular Experimental Oscar Niemeyertambém conhecido como “a cúpula”

O local é o único edifício inacabado em Trípoli, no Líbano Rashid Karami exposição internacional complicado. O teatro terá capacidade para 1.100 lugares, e o projeto visa torná-lo o maior teatro de todas as artes cênicas do norte do Líbano, onde está localizado o complexo. Trípoli é a segunda maior cidade do país.

O Teatro Circular Experimental Oscar Niemeyer também é conhecido como “A Cúpula”.

“Na noite de abertura, um concerto sinfônico inédito mostrará o vasto potencial deste espaço mágico e servirá como uma rendição do legado de Niemeyer para dar vida às suas realizações modernistas”, disse a Embaixadora Carla Jazzar, Encarregada de Negócios da Embaixada do Líbano em Brasília.

Em entrevista à Agência Australiana de Notícias (ANBA), ela deu detalhes da iniciativa. – Ao mesmo tempo, criará oportunidades de emprego e estimulará o processo de economia circular, reconectará regiões e povos libaneses e melhorará o turismo cultural, especialmente a descoberta local por meio da linguagem universal da música. Após esse primeiro evento, o aluguel da casa de shows vai gerar receita para a administração do complexo manter e/ou restaurar a infraestrutura da casa, disse Jazzar.

Um para JV Art Tem integrantes como Jorge Tacla, diretor musical brasileiro; Harout Fadelian, Maestro Titular, Orquestra Filarmônica do Líbano; Wassim Naghi, arquiteto internacional, professor e conferencista, responsável pela submissão do Conjunto Arquitetônico Niemeyer a Patrimônio Cultural da UNESCO; Joel Hajjar, curador, produtor e historiador de arte; Rania Kortbawi é designer de interiores com projetos no Líbano e no exterior. Lea Baroudi, fundadora da ONG March, que trabalha em Trípoli há nove anos; e Hayam Yared, escritor e presidente da Associação PEN de Escritores Francófonos.

O espaço foi projetado na década de 1960, mas ainda está inacabado

Segundo Al-Jazzar, todos os estudos técnicos e logísticos foram elaborados com a aprovação inicial dos gestores do complexo e autoridades oficiais. Neste momento, o projeto está em fase de captação de recursos.

Por isso, a Embaixada do Líbano no Brasil está promovendo o projeto junto às autoridades libanesas e à comunidade libanesa. Desde o início, trabalhamos com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil e estamos discutindo com o Ministério da Cultura, a Fundação Oscar Niemeyer e outras instituições, nos níveis de governo e da sociedade civil, para chamar a atenção e atrair patrocinadores para este projeto para fortalecer ainda mais as relações entre nossos dois países, disse ela.

O projeto já conseguiu que todo o sistema de áudio fosse patrocinado pela Saint-Gobain. Outros compromissos também foram assinados com a LBC International para ser o principal media partner do trabalho, além de um seguro comercial que cobre todas as fases do projeto. Além disso, as empresas sociais “Sustainability Lebanon” e “Aish Love Lebanon” participarão do processo de crowdfunding, e espera-se que o projeto seja apoiado pela Saadallah and Lubna Khalil Foundation for Education and Culture.

Saudações ao Niemeyer

Como o complexo foi projetado por Niemeyer, foi pensado para homenagear o brasileiro. ??????????????????????????????????????????????????? ???????????????????????????????????????????????????? ???????????????? Pretendemos mostrar um curta-metragem sobre a história do complexo e a realização de Niemeyer, utilizando arquivos raríssimos e originais. O embaixador explicou que esse filme também pode ser usado no Brasil, em escolas e em canais de televisão para divulgar essa monumental obra arquitetônica de Niemeyer fora de seu país.

O diplomata destacou, porém, que o orçamento previsto deve ser atingido para atingir as metas. “[This is a way to] Ajude a salvar o legado de Niemeyer no Líbano, que corre o risco de desaparecer, e a ressuscitá-lo, envolvendo pessoas no processo de arrecadação de fundos, especialmente após sua inscrição como Patrimônio Mundial da UNESCO – o primeiro e único complexo do século XX em Oriente Médio para ser inscrito. Concluí que a primeira e maior obra de Oscar Niemeyer fora das Américas.

READ  Africa Cinema vai exibir filmes árabes do Egito e Sudão

Mais Informações:
[email protected]

Traduzido por Elsio Brasileiro

© Eric Laforgue/Hans Lucas/AFP

© Eric Laforgue/Hans Lucas/AFP

© Eric Laforgue/Hans Lucas/AFP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *