O pássaro azul do filme “Rio” já está extinto na natureza

Mas o estudar Lançada esta semana, a ave brasileira já está extinta na natureza.
O papagaio Spix é uma das oito espécies de aves, metade delas no Brasil, confirmada ou suspeita de extinção em um relatório da Birdlife International. De acordo com o relatório, o desmatamento é uma das principais razões para o desaparecimento dos Specks de seu habitat natural.

O estudo diz que, pela primeira vez, as extinções no continente superaram as das ilhas.

“Noventa por cento das extinções de aves nos últimos séculos ocorreram em espécies em ilhas”, disse Stuart Butchart, cientista-chefe da BirdLife e principal autor do artigo. “No entanto, nossos resultados confirmam que há uma onda crescente de extinções varrendo os continentes, impulsionadas principalmente pela perda de habitat e degradação da agricultura e extração de madeira insustentáveis”.

No filme de 2011, Bleu é criado em cativeiro e viaja de Minnesota para o Brasil com seu dono para restabelecer seu gênero com a última fêmea selvagem de sua espécie, Jewel. Mas o estudo descobriu que o filme estava 11 anos atrasado, com Jewel provavelmente tendo morrido em 2000.

Isso não significa que toda a esperança está perdida para pássaros como o Azul. O relatório diz que, apesar da espécie se extinguir na natureza, 60 a 80 papagaios Spix ainda vivem em cativeiro.

Correção: Uma versão anterior desta história escreveu incorretamente a produtora por trás de “Rio”. É a 20th Century Fox.

READ  O Jeep Commander irrita no Brasil: parece mais do que apenas uma bússola de 7 lugares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.