Novo estudo: 22 milhões de americanos não precisam de cardiologistas em mais de 1.400 condados

Num novo estudo, descobriu-se que quase metade dos condados dos Estados Unidos não têm médicos especializados em cardiologia. Esta grande lacuna afecta cerca de 22 milhões de americanos, aumentando o risco de doenças cardíacas e morte prematura, o que poderia reduzir a sua esperança de vida em um ano.

BANGKOK, TAILÂNDIA: Estilo de vida – Saúde – Ásia – História de turismo O cardiologista tailandês Wattanaphul Vipatananoth (à esquerda) examina um paciente norueguês na enfermaria de cardiologia do Hospital Internacional Bumrungrad em Bangkok, 22 de novembro de 2005.
(Foto: Saeed Khan/AFP via Getty Images)

Cardiologistas na América estão desempregados

O estudo do American College of Cardiology destaca disparidades significativas no acesso aos cuidados de saúde nos Estados Unidos. De acordo com Geometria interessanteDepois de pesquisar todos os 3.143 condados, ele descobriu que quase metade, ou 1.454 condados, não tinha cardiologistas.

Esta falta de acesso afecta aproximadamente 22 milhões de pessoas, colocando-as em risco de doenças cardiovasculares e morte. Os especialistas alertam que esta disparidade pode reduzir a esperança de vida nestas comunidades desfavorecidas em até um ano.

Os investigadores sublinham a necessidade de os decisores políticos abordarem a relação entre as taxas de morbilidade e a escassez de médicos. Dr. Haider Waraic, diretor do Programa de Insuficiência Cardíaca da VA Boston Healthcare e médico associado do Brigham and Women’s Hospital em Boston, enfatizou a alarmante escassez de cardiologistas em áreas com altas taxas de doenças cardíacas e mortalidade.

O estudo sublinha a necessidade de os países tomarem medidas imediatas.

Leia também: Pesquisadores desenvolvem medicamento para reduzir rapidamente os níveis de colesterol ruim

READ  Seu cérebro exibe imagens de 15 segundos 'no passado' em vez de tentar atualizá-lo em tempo real

Desafios enfrentados pelas comunidades nativas americanas e do sul

Nos Estados Unidos, a pesquisa abrangente revela que os nativos americanos e os condados do sul enfrentam a maior probabilidade de não conseguirem ter acesso a cardiologistas.

O estudo destaca a grande disparidade na distância percorrida até o cardiologista mais próximo, com uma média de 16,3 milhas em condados com cardiologistas, em comparação com 87,1 milhas em condados sem cardiologistas.

Os residentes de áreas mal servidas têm um risco 31% mais elevado de doenças cardiovasculares, o que é atribuído a ambientes rurais, baixos rendimentos, cobertura de seguro limitada e acesso insuficiente a médicos de cuidados primários. Essas disparidades contribuem para hospitalizações evitáveis.

Os resultados do estudo sublinham a necessidade urgente de abordar disparidades significativas nos resultados de saúde cardiovascular para os americanos que vivem em áreas rurais e mal servidas.

Os investigadores apelam a uma reforma política porque as doenças cardiovasculares aumentam o fosso entre as comunidades urbanas e rurais.

Estas reformas podem incluir o fornecimento de incentivos financeiros para atrair prestadores de cuidados de saúde para áreas mal servidas e a implementação de programas de telemedicina para melhorar o acesso aos cuidados. A integração dos cuidados das doenças cardiovasculares com os cuidados primários é crucial, especialmente no que diz respeito à prevenção e gestão dos factores de risco.

As doenças cardiovasculares, responsáveis ​​por cerca de 17,9 milhões de mortes anualmente em todo o mundo, destacam a necessidade urgente de medidas preventivas, como dieta, exercício e medidas regulamentares eficazes que possam prevenir até 80% dos casos.

Nos Estados Unidos, estas questões são particularmente proeminentes nas áreas de baixos rendimentos. Os resultados do estudo, descritos pelo editor-chefe do JACC, Dr. Harlan M. Cromwells, MD, SM, FACC, afirmou estar informado e alarmado com a gravidade da situação.

READ  Mais de 3.000 tipos de células cerebrais revelam nossos segredos

A resolução destas lacunas é fundamental e requer apoio estatal para mitigar este importante desafio de saúde pública e reduzir as mortes evitáveis. Os pesquisadores destacam lacunas geográficas no acesso aos cardiologistas nos Estados Unidos.

Artigo relacionado: Nova tecnologia usa inteligência artificial para detectar artérias obstruídas e prevenir ataques cardíacos

Escrito por Eno Flores

ⓒ 2024 TECHTIMES.com Todos os direitos reservados. não pode ser reproduzido sem permissão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *