Novak Djokovic: Juiz ordena que estrela do tênis seja libertada da detenção de imigração na Austrália

Após horas de deliberação, falhas técnicas e argumentos de ambos os lados, o juiz Anthony Kelly ordenou a libertação de Djokovic de um centro de detenção temporária em um hotel e a devolução de sua propriedade dentro de 30 minutos da decisão de segunda-feira.

O juiz Kelly também ordenou que o réu no caso – o Departamento Australiano de Assuntos Internos – pagasse os custos legais de Djokovic.

Após a decisão, o advogado do governo disse que o ministro da imigração da Austrália se reserva o direito de intervir pessoalmente no caso. Christopher Tran, agindo em nome do governo, disse que o ministro Alex Hawke mantém autoridade ministerial para remover Djokovic do país, apesar da decisão.

Após a sessão, Djokovic escreveu no Twitter que estava “encantado e grato” pelo resultado. Ele disse que “apesar de tudo o que aconteceu” ele quer ficar no país “para tentar competir” no Aberto da Austrália. Ele também agradeceu a seus apoiadores por estarem com ele e encorajá-los a “permanecer fortes”. Ele twittou uma foto sua e de sua comissão técnica aparentemente em um estádio em Melbourne.

Em uma coletiva de imprensa em Belgrado, na Sérvia, seu irmão agradeceu a seus apoiadores. “Tudo está finalmente completo e Novak está livre no final. Novak estava na quadra de tênis um pouco mais cedo e treinou um pouco e é assim que ele luta por si mesmo – ele joga tênis”, disse Djoorge Djokovic em entrevista coletiva. .

Ele acrescentou que “Novak não fez nada de errado”, expressando sua felicidade por “o sistema legal australiano ter sido aplicado para Novak”.

No entanto, Djurji interrompeu a entrevista coletiva quando questionado sobre o teste positivo de Djokovic para o vírus Covid em 16 de dezembro e seu paradeiro nos dias seguintes.

Djurji confirmou que o resultado do teste de Djokovic é positivo e, quando um repórter perguntou se ele estava no evento de 17 de dezembro, ele gaguejou e respondeu: “Esta coletiva de imprensa foi adiada”.

READ  Milhares se manifestam no centro do Irã para protestar contra a falta de água

Sentado ao lado de seu filho, Sergean Djokovic pode ser ouvido dizendo a Djurji que “o assunto está no tribunal” quando a pergunta é feita.

Em 16 de dezembro, dia em que testou positivo para o vírus, Djokovic foi fotografado em três eventos, onde nenhum dos outros participantes estava mascarado. No dia seguinte, ele também foi fotografado no Youth Awards.

A Associação de Profissionais de Tênis (ATP) descreveu a série de eventos que antecederam a audiência como “prejudiciais em todas as frentes” – incluindo o bem-estar do atleta, de acordo com um comunicado da associação na segunda-feira.

A decisão anterior, emitida por meio de um link de vídeo no Tribunal Federal do Circuito Australiano em Melbourne, ocorre após dias de especulação e indignação pública sobre se a estrela do tênis poderá jogar no Aberto da Austrália, apesar de não ter sido vacinada contra a Covid-19. 19 vírus.

O sérvio de 34 anos viajou para a Austrália em 5 de janeiro, apenas para levá-lo de volta com ele Visto cancelado Depois que a Força de Fronteira Australiana foi considerada sua propriedade isenção médica Um requisito para vacinar totalmente todas as chegadas contra o Covid-19 é inválido.

Enfrentando uma deportação e suas esperanças de ganhar seu 21º Grand Slam em risco, Djokovic lançou um desafio legal.

Pessoas são vistas do lado de fora do prédio do tribunal em 10 de janeiro de 2022 em Melbourne, Austrália.

Durante a audiência, a equipe jurídica de Djokovic argumentou que ele obteve a isenção médica necessária para viajar para a Austrália e contornou as restrições de vacinação para o Covid-19. Sua defesa argumentou que essa isenção foi concedida com base no fato de Djokovic ter imunidade natural após contrair a Covid-19 em dezembro.

Djokovic, que já havia expressado oposição às vacinas contra o Covid-19 e aos mandatos de vacinas, não estava imune ao chegar à Austrália. Em sua decisão, o juiz indicou que se Djokovic fosse deportado, ele seria banido da Austrália por três anos.

O caso chamou a atenção global e provocou indignação de seus apoiadores e críticos, com alguns dizendo que seu caso mostra que celebridades recebem tratamento especial quando se trata das rígidas regras Covid-19 da Austrália, que viram famílias separadas por anos, e outros que acreditam no coronavírus. restrições interferem em suas liberdades civis.

A situação de Djokovic também destaca A situação dos requerentes de asilo Na Austrália – com dezenas de refugiados dentro do mesmo hotel Djokovic que estão trancados há anos e que enfrentam detenção indefinida sob as rígidas regras de imigração da Austrália.

argumentos

Os argumentos tanto para a defesa quanto para o governo centraram-se principalmente na orientação de um grupo consultivo para o governo federal chamado Australian Technical Advisory Group on Immunization (ATAGI).

READ  A ilha espanhola de La Palma foi sacudida por terremotos quando a lava se aproximou das cidades

Nick Wood, consultor sênior que representa Djokovic, disse que o conselho da ATAGI era que infecções anteriores por Covid fornecem pelo menos seis meses de proteção natural – “e, portanto, podem ser consideradas uma isenção temporária da vacinação”.

Ele disse que Djokovic percebeu que havia obtido a aprovação do governo para vir para a Austrália e fez repetidos apelos aos oficiais federais em Melbourne para que ele “fizesse tudo o que entendia ser exigido dele para entrar na Austrália”.

“Qualquer pessoa razoável entenderia, e entendeu, que ele marcou absolutamente todos os quadrados”, acrescentou Wood.

O sérvio Novak Djokovic joga um backhand durante uma partida da Copa Davis no Olympia World em 27 de novembro de 2021 em Innsbruck, Áustria.

Os advogados da ministra do Interior da Austrália, Karen Andrews, defenderam a decisão da Força de Fronteira Australiana de deportar Djokovic, argumentando que a estrela do tênis não forneceu nenhuma razão médica para não poder se vacinar contra o Covid-19.

O governo disse que Djokovic errou ao acreditar que tinha entrada garantida e que a infecção anterior pelo vírus Covid não significava uma razão médica aceitável para não receber a vacinação.

Eles apontaram para as mesmas diretrizes da ATAGI, que dizem que, embora a proteção natural seja reconhecida, a infecção prévia “não é uma contraindicação à vacinação” – o que significa que não é uma razão válida para alguém não tomar a vacina.

O governo também argumentou que, embora essas diretrizes sugerissem que as pessoas poderiam adiar temporariamente suas vacinas após desenvolver uma doença aguda, “não havia indicação de que Djokovic estivesse gravemente doente”.

Em sua nota ao tribunal, o governo disse: “Tudo o que ele disse é que testou positivo para Covid-19. Não é a mesma coisa”.

Policiais observam manifestantes pró-refugiados se reunirem do lado de fora do Park Hotel, onde acredita-se que o tenista sérvio Novak Djokovic esteja detido, em Melbourne, Austrália, em 10 de janeiro.

Tran, o advogado do governo, disse que as autoridades têm poucas restrições ao cancelamento de vistos e que até mesmo a possibilidade de risco à saúde dos australianos já era motivo suficiente.

READ  As próximas grandes mentiras: 6 de janeiro não foi um grande problema, ou um enredo de esquerda

No entanto, o juiz Anthony Kelly pareceu reconhecer a posição de Djokovic, dizendo que estava “perturbado” com o fardo colocado sobre a estrela do tênis para fornecer provas aos funcionários.

Djokovic havia testado positivo para Covid-19 em dezembro – o que comitês independentes concordaram ser uma razão suficiente para adiar a necessidade de Djokovic de uma vacinação.

“O que mais esse homem poderia ter feito?” disse o juiz Kelly.

O que Djokovic está jogando no Aberto da Austrália?

O desastre do visto ameaçou as chances de Djokovic de um Grand Slam recorde no Aberto da Austrália, que começa em Melbourne em 17 de janeiro.

Djokovic detém atualmente 20 vitórias em Grand Slams, igualando o recorde histórico com Rafael Nadal e Roger Federer.

A vitória em Melbourne significa que Djokovic quebra o recorde de mais títulos de Grand Slam de todos os tempos por um homem.

Essa é uma possibilidade muito real – Djokovic venceu o Aberto da Austrália nove vezes antes.

Federer, 40, não jogará em Melbourne, e enquanto Nadal, 35, deve jogar, ele tem lutado com a lesão.

A dupla se enfrentou 58 vezes, com Djokovic liderando por 30 vitórias a 28. Nadal, que já venceu o Aberto da Austrália de 2009, está em sexto lugar no mundo.

Hilary Whiteman, Hannah Ritchie e Angus Watson, da CNN, contribuíram para o relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *