Níveis recordes de turismo em Lisboa

As unidades de Alojamento Local (AL) de Lisboa, em abril, registaram uma ocupação média de 73% e um RevPAR de 69€, valores alcançados apenas no verão de 2019 que, no caso dos rendimentos, são recorde.

De acordo com o estudo realizado pela Confidencial Imobiliário, no âmbito do SIR-Alojamento Local, sistema estatístico que monitoriza o alojamento local em Lisboa e no Porto, “Este é um reflexo completo do desempenho deste mercado, que apresenta indicadores de anemia desde o início da Covid.”

À semelhança da ocupação e do RevPAR, a tarifa também subiu no alojamento local em Lisboa em abril, fixando-se num novo limite de 100€, enquanto o número de dormidas vendidas foi de 58.000, no que foi “o nível mais elevado em dois anos”.

As vendas de habitação local na capital, em abril, ascenderam a 5,8 milhões de euros, “uma das mais elevadas desde o final do verão de 2019”, segundo o Confidencial Imobiliário.

Porto

À semelhança de Lisboa, os alojamentos locais do Porto também têm motivos para festejar, porque também têm assistido a uma “clara recuperação de dinâmicas”, “ainda que não em níveis recordes” como em Lisboa, diz o Confidencial Imobiliário.

A média de ocupação deste mês foi de 54%, superando os 50% registrados em abril de 2019, mas ainda longe do máximo de 73% registrado em setembro daquele ano. A receita por quarto disponível foi de 44€, acima do mesmo mês de 2019, mas ainda abaixo do pico de 56€ observado em setembro de 2019, de 56€.

No Porto, a diária média foi de 85 euros, o valor mais alto já registrado em abril, enquanto o total de noites vendidas foi de 39 mil, resultando em um faturamento de 3,3 milhões de euros, indicadores que, segundo a Confidencial Imobiliário, foi “muito perto do melhor dos anos pré-Covid”.

READ  Apex Brasil & Elites organiza AgriTalks Índia-Brasil no dia 28 de setembro sobre Inovação Agrícola e Segurança Alimentar - Revista eGov

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.