Moro em Portugal – aqui estão sete destinos que os locais querem manter em segredo

Desde uma interminável série de praias a florestas exuberantes e até ilhas subtropicais, há uma razão pela qual os turistas britânicos adoram Portugal (o seu maior mercado interior). Nós, portugueses, temos sempre orgulho do nosso pequeno país e aproveitamos todas as oportunidades que temos para explorar a nossa terra natal.

Quando a temperatura sobe, muitos migram para sul para apanhar banhos de sol ao longo da Costa Alentejana, enquanto outros aventuram-se para norte para nadar nas Lagoas de Jerès, o único parque nacional do país. Quer esteja a perseguir o sol, a planear uma viagem ou a passear pelas montanhas, aqui estão alguns locais de férias em Portugal onde certamente conhecerá os habitantes locais…

Parque Nacional da Pineda-Gerês Norte

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é o lar de veados, lobos e águias douradas (Foto: Sergey_Peterman/Getty)

Com as suas lagoas e cascatas escondidas, o Parque Nacional da Peneda-Gerês atrai visitantes portugueses que procuram fugir do calor. O verão é a estação mais movimentada, mas quando você chegar na primavera ou no início do outono, provavelmente será um dos poucos estrangeiros aqui.

Este parque nacional, localizado no extremo norte do país, está decorado com percursos pedestres, alguns dos quais seguem a bem preservada estrada romana de Gera Romana, que liga Braga a Astorga.

A vila de Caldas de Gerês é famosa pelos seus banhos termais, mas o vizinho Campo de Gerês é também uma excelente base para explorar locais como a Mata da Albergaria, uma floresta protegida com carvalhos centenários e sequóias gigantes.

Onde ficar: Parky Cerdera Perto dali, o Campo do Gerês oferece um misto de chalés, quartos familiares e parque de campismo. A simpática equipa organiza visitas guiadas à floresta circundante. Os preços começam em 21€ (18£ para camping), 45€ (38£ para quartos) e estadia mínima de duas noites.

Destaque culinário: Desfrute de uma refeição tradicional portuguesa no CAntino do AntigamenteA poucos quilômetros da Vila Covid. Ligue com alguns dias de antecedência para reservar pratos como o baby assado, das cabras que pastam nos arredores do Gerês.

Como chegar lá: Braga fica a cerca de uma hora de carro. A Autoridade Intermunicipal de Transportes do Cávado opera um autocarro de Braga para Caldas de Gerês, e a viagem demora cerca de 90 minutos.

Serra da Estrela Centro

Este tipo de cascata resulta da intervenção humana.  Há muitos anos, com a ajuda de brocas, mudaram o curso do rio para utilizar a terra para a agricultura.  Estas quedas de água, com vários metros de altura, formam poços, daí o nome Po da Broca.
Cascata do Poço da Broca na Serra da Estrela (Foto: Luis Fonseca/Getty)

As temperaturas congelantes não estão necessariamente associadas a Portugal, mas se você chegar a essa faixa no inverno, poderá encontrar um pouco de neve. A região da Serra da Estrela alberga a montanha mais alta de Portugal continental, mas fora do inverno, esta área tem muito para oferecer – trilhos naturais, lagos e aldeias pitorescas como Covilhã, Volgosinho e Mantijas, para citar alguns.

READ  Petecof consegue uma oportunidade da Stock Car Brasil com a equipe Toyota

É também um refúgio encantador no calor do verão, com praias fluviais próximas para se refrescar, como Unhais da Serra e Vale do Rossim.

Mantegas alberga o Moinho do Borel, um dos últimos moinhos de lã remanescentes em Portugal. A maior parte do processo ainda é feita manualmente e você pode agendar um tour pela fábrica para vê-lo.

Onde ficar: Acorde no meio das montanhas Casa das Pinhas DoradecomoUm bed and breakfast com quartos espaçosos e uma piscina virada para um mar de pinheiros. Duplas a partir de € 200 (£ 171).

Destaque culinário: Localizado em um antigo prédio de forno comunitário, Linda Ferriato O Restaurante Unhais da Serra serve uma variedade de pratos de caça e o seu homónimo, o queijo cremoso da região.

Como chegar lá: A Serra da Estrela fica a duas horas e meia de carro do Porto e a três horas e meia de Lisboa. Você pode chegar a muitas cidades como a Covilhã de trem ou ônibus a partir de Lisboa.

Mértola Alentejo

Cidade Velha de Mértola com Rio Guadiana e Torre do Relógio, Alentejo, Portugal
A pacata e pitoresca cidade medieval de Mértola, em Portugal (Foto: Cornelia Bethart/Getty)

Ao contrário de Espanha, Portugal perdeu grande parte da sua herança islâmica. Mas ainda é possível encontrar vestígios dela em Mértola, uma pitoresca aldeia caiada no Alentejo, perto da fronteira espanhola.

Também conhecido como “Vila MusaSh” (Vila Museu), Mértola pode ser pequena, mas contém 14 peças expostas que incluem os restos de um castelo islâmico, uma casa romana e um castelo medieval. O festival islâmico semestral é uma ótima maneira de mergulhar em sua história. Ao caminhar pelas ruas de paralelepípedos da vila, você ouvirá uma mistura de português e espanhol e talvez verá estudantes de arqueologia trabalhando.

Para prolongar a sua visita nesta zona do Alentejo, dê um mergulho Rio Praia (praia fluvial) nas vizinhas Azenhas do Guadiana, ou explore o Parque Natural do Vale do Guadiana a norte ou o rio Chança a leste, na fronteira com Espanha, onde encontrará uma idílica pousada rural na Ilha da Tartaruga.

Onde ficar: Com vista para o Rio Guadiana hotel-museu Ele vem com seu próprio museu e piscina. Passeios de barco e caiaque podem ser reservados na recepção. Duplas a partir de € 60 (£ 51).

Destaque culinário: Misturando sabores portugueses e árabes, Espaço Villa Velha Oferece um menu sazonal com foco em ingredientes locais. Os destaques incluem Shakshuka E hambúrguer com Carne mertolinga (Carne Mértola). Opções vegetarianas também estão disponíveis.

Como chegar lá: Mértola fica a cerca de uma hora de Beja, onde pode chegar de comboio ou autocarro a partir de Lisboa. A Rodoviária do Alentejo oferece ligações de autocarro entre Beja e Mértola durante a semana.

Chávez Norte

Antigas pedras romanas atravessam o rio Te Mega, na cidade de Chaves.  Portugal.
Antigas pedras romanas cruzando o rio Tâmega em Chaves, Portugal (Foto: Ruibento/Getty)

Chaves é um refúgio de férias desde que os romanos descobriram as suas águas termais curativas. Este legado ainda é visível no Museu das Termas Romanas da cidade. Muitos portugueses ainda fazem uso destas águas curativas na moderna estância termal das Termas de Chaves.

Mais recentemente, a cidade tornou-se numa paragem popular da estrada nacional N2 que atravessa Portugal de norte a sul. Antes de fazer-se à estrada, vale a pena subir ao santuário do castelo, atravessar a ponte romana e observar as coloridas varandas da Rua Direta. Deve também procurar a Pastelaria Maria para encomendar um Pastel de Chávezpastéis folhados recheados com vitela picada.

Onde ficar: Hotel Castelo Localizado mesmo ao lado do castelo, dispõe de quartos modernos com vista. Existe também um centro de bem-estar com piscina aquecida. Duplas a partir de 70€ (60£).

Destaque culinário: Venha com fome de éEnsão Flávia Desfrute de uma vista dos pratos, do camarão à vitela assada, que compõem o menu de degustação de 20 € (17 £).

Como chegar lá: Chaves fica a cerca de 90 minutos de carro do Porto. Tanto a Rede Expressos quanto a FlixBus oferecem viagens de ônibus intermunicipais de duas horas.

Vila Nova de Milfontes Alentejo

Ruta Vicentina, Alentejo, Portugal - 05/01/2018: Os caminhantes admiram a vista entre Porto Covo e Vila Nova de Milfontes no Trilho dos Pescadores, uma caminhada de quatro dias na Ruta Vicentina.  A área faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.  (Foto de Lisa Tyler/LightRocket via Getty Images)
Caminhante admira a vista entre Porto Covo e Vila Nova de Milfontes no Trilho dos Pescadores, uma caminhada de quatro dias na Ruta Vicentina (Imagem: Lisa Tyler/Getty)

Muitos portugueses (e estrangeiros) passam as férias de verão na região do Algarve. Outros preferem as praias mais tranquilas do Alentejo. Passei a minha infância acampando em Vila Nova de Milfontes, uma pequena cidade costeira a cerca de duas horas a sul de Lisboa, e continua a ser um dos meus destinos favoritos.

Da cidade, você pode caminhar pelas dunas para chegar a praias como a Praia do Farol. Esta zona faz parte da Ruta Vicentina, um belo percurso costeiro que leva os caminhantes por praias selvagens e por pequenas aldeias piscatórias. Adoro passar tempo na Praia do Malhão e explorar as enseadas perto de Porto Covo.

Onde ficar: De frente para o mar Praia de Melfontes Proporciona uma base ideal para explorar as praias circundantes. Uma piscina exterior e um restaurante no local são um bónus adicional. Duplas a partir de € 150 (£ 128).

Destaque culinário: Tasca do Celso Uma instituição e tanto em Vila Nova de Milfontes. Serve pratos tradicionais alentejanos como porco preto ibérico, ostras e camarões.

READ  Cristiano Ronaldo toma uma decisão impressionante sobre o futuro de Portugal após a eliminação da Copa do Mundo

Como chegar lá: Pode facilmente chegar a Vila Nova de Milfontes a partir de Lisboa ou do Algarve de autocarro. O vôo dura cerca de duas horas. De Lagos, você pode chegar aqui em cerca de 90 minutos.

Aveiro Centro

A Costa Nova do Prado, também conhecida como a Veneza Portuguesa, é sem dúvida a praia mais famosa de Aveiro e destaca-se pelos seus famosos hieros, antigas casas de pescadores convertidas em casas coloridas que chamam a atenção pelas suas decorações únicas construídas em planos horizontais, verticais e linhas verdes.  , vermelho amarelo???
As antigas casas listradas de pescadores da Costa Nova do Prado são uma atração turística popular (Imagem: Aleph/Getty)

Às vezes chamada de cidade portuguesa de Veneza, os estreitos canais, pontes e barcos em estilo gôndola de Aveiro são conhecidos como a “Veneza Portuguesa”. moliceiros. Isto, combinado com as deliciosas toupeiras de ovo (sobremesas de gema de ovo e açúcar), torna-o uma alternativa popular na cidade.

Vale a pena explorar toda a zona, que inclui cidades costeiras como a Costa Nova, com as suas coloridas casas às riscas; Museu da Cerâmica Vista Alegre; e os Trilhos do Paiva, um percurso panorâmico de oito quilómetros ao longo das margens do Rio Paiva.

Onde ficar: Aberto desde 1937, Hotel AveiroH Foi o primeiro hotel da cidade. Os quartos foram redesenhados, mas a fachada permaneceu praticamente a mesma. Duplas a partir de 140€ (120£).

Destaque culinário: Ostras e outros pratos regionais aparecem em Sal PointHum restaurante moderno localizado numa antiga fábrica de sal.

Como chegar lá: Do Porto, chega-se a Aveiro em menos de uma hora de carro ou comboio.

Ilhas dos Açores

Escalar o Vulcão do Pico é uma atividade popular nos Açores (Imagem: Marco Bottigelli/Getty)

Estas ilhas portuguesas ainda são um segredo relativamente bem guardado. O arquipélago Atlântico é composto por nove ilhas vulcânicas, mas a maioria dos visitantes dirige-se a São Miguel e Terceira e aos seus banhos termais, campos férteis e uma das mais antigas plantações de chá da Europa.

Mas há muito mais para explorar além destas duas ilhas. Vá ao Pico para escalar o pico mais alto de Portugal e provar os vinhos das vinhas de Criação Velha, classificadas pela UNESCO; Ou aventure-se para oeste para encontrar as Flores, uma das partes mais verdes dos Açores, onde cascatas descem pelas encostas das montanhas verde-esmeralda.

Onde ficar: Aldeia da Quadra Dispõe de moradias de um a seis quartos em casas tradicionais de pedra das Flores. A partir de 170€ (145€).

Destaque culinário: O atum e as amêijoas estão entre as melhores iguarias dos Açores, que pode saborear em todo o arquipélago, incluindo a Taberna Acor em São Miguel.

Como chegar lá:Existem voos diretos para São Miguel e Terceira. A companhia aérea açoriana SATA e o ferry da Linha Atlântico juntam-se aos pontos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *