Milhares se manifestam no centro do Irã para protestar contra a falta de água

Agricultores trabalham em um campo enquanto a fumaça sai de uma refinaria de petróleo ao fundo, em Teerã, Irã, 3 de junho de 2021. Majid Asgharipour / Wana (West Asian News Agency) via Reuters / Foto de arquivo

Registre-se agora para obter acesso gratuito e ilimitado a reuters.com

DUBAI (Reuters) – Milhares de agricultores e seus apoiadores se reuniram na cidade iraniana de Isfahan na sexta-feira, informou a televisão estatal, em um grande protesto contra a escassez de água na região afetada pela seca.

“Deixe Isfahan respirar novamente, saúda a Zayandeh Road”, gritaram alguns manifestantes em um vídeo postado nas redes sociais enquanto as multidões se reuniam no leito seco do rio, onde fazendeiros em protesto montaram uma cidade de tendas. Uma placa segurada por uma mulher dizia: “Nossos filhos querem água para alimentar seus filhos”.

O ministro da Energia do Irã se desculpou pela falta de água. “Peço desculpas a todos os nossos queridos agricultores e tenho vergonha de não poder fornecer a água necessária para suas plantações. Com a ajuda de Deus, espero que possamos superar essas deficiências nos próximos meses”, disse Ali Akbar Mehrabian. TELEVISÃO.

Registre-se agora para obter acesso gratuito e ilimitado a reuters.com

Fazendeiros na província de Isfahan protestam há anos contra o desvio de água do rio Zyandeh Rud para abastecer outras áreas, deixando suas fazendas secas e ameaçando seus meios de subsistência. Um oleoduto que leva água para a província de Yazd foi danificado várias vezes, de acordo com a mídia iraniana.

Em julho, protestos de rua por falta de água eclodiram na província produtora de petróleo de Khuzistão, no sudoeste do país, com um oficial de direitos humanos da ONU denunciando o tiroteio mortal de manifestantes. O Irã rejeitou as críticas. Consulte Mais informação

READ  Um poderoso editor alemão, acusado de má conduta, sai

O Irã atribuiu a falta de água pela pior seca em 50 anos, enquanto os críticos também apontam para a má gestão.

Com a economia prejudicada pelas sanções dos EUA, o Irã se tornou o país mais afetado no Oriente Médio pela pandemia COVID-19. A seca forçou o Irã a importar uma quantidade recorde de trigo. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso gratuito e ilimitado a reuters.com

Reportagem da redação de Dubai. Editado por Giles Algood

Nossos critérios: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *