Marina Brito | Jackson Free Press

Foto cedida por Marina Brito

Marina Brito, nascida em São Paulo, Brasil e membro da equipe feminina de vôlei da Jackson State University, recebeu uma bolsa integral em abril para cursar o MBA na JSU neste outono.

Brito desenvolveu sua paixão pelo voleibol desde cedo graças a seu pai Jorge Brito, um ex-jogador profissional que agora dirige a seleção nacional de vôlei das Filipinas. Britto começou a jogar competitivamente aos 14 anos e viajou para o Canadá em 2015 para participar do USA Junior Olympic Volleyball, uma rede nacional de vôlei competitiva que oferece oportunidades de treinamento e jogo para atletas pré-universitários. Em 2017, aos 19 anos, Prieto veio para a JSU para estudar economia e ingressar no time feminino de vôlei.

“Economia me interessa porque a vejo como uma profissão global, algo que posso usar onde estiver”, diz Prieto. “Ele oferece uma ampla gama de opções e portas que você pode abrir onde quer que vá. Acho que qualquer tipo de mudança começa na economia, seja no impacto ambiental e na sustentabilidade ou ajudando as indústrias a se moverem em direção a novas fontes de energia.”

Durante seu primeiro ano na JSU em 2018, a equipe feminina de vôlei ficou em oitavo lugar entre 10 equipes na Southwestern Athletic Conference. Embora a equipe tenha vencido o 2021 SWAC Championship contra a University of Arkansas Pine Bluff em março, a pandemia COVID-19 dificultou o caminho até lá, diz Britto.

“Quando a pandemia atingiu pela primeira vez, a escola emitiu um aviso dizendo que as aulas online exigiam que os alunos voltassem para casa”, diz Brito. “A temporada estava cancelada, e aqui eu não tinha certeza do que ia acontecer no início. Acabei voltando para São Paulo por cinco meses, e quando voltei precisei ficar um tempo em quarentena no México antes de poder voltar. – Entre nos Estados Unidos. O tempo todo sempre tive dúvidas sobre se eu teria permissão para voltar, mas no final tudo deu certo. ”

READ  As ações da Telefonica Brasil SA parecem estar bem avaliadas

Brito voltou ao Brasil em agosto de 2020. Naquele outono, ela teve que se ajustar para aprender virtualmente em um fuso horário diferente do dos Estados Unidos, o que às vezes exigia que ela se levantasse às 2 da manhã para aulas online porque muitas vezes são os únicos horários disponíveis . Apesar das dificuldades, acabei passando o semestre com GPA de 3,9.

Durante a quarentena, Brito também teve que se ajustar tanto ao treinamento longe das academias quanto para mantê-la e à avó seguras.

“Tive de esperar 15 dias no início só para poder ver minha avó, mas sabia que precisava ser gentil e não colocar em risco a segurança dela”, diz Prieto. “Ela e minha família estavam com medo, mas felizes por eu estar em casa. Felizmente para o meu treinamento, minha mãe trabalha na construção e trará para casa sobras de madeira, pedra e latas de tinta cheias de concreto dos canteiros de obras para usar como equipamento de treinamento temporário.”

Funcionários e funcionários da JSU ajudaram a garantir os documentos de que Brto precisava para retornar aos Estados Unidos e foi capaz de retornar à universidade em janeiro de 2021. Ela recebeu seu diploma de bacharel em economia em maio de 2021. Ela planeja usar seu mestrado para estudar também meio ambiente economia ou financeira e bancária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *