Juiz brasileiro anula condenação de Lula e abre as portas para o recurso de 2022

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva destaca durante evento intitulado: “Diálogo sobre a desigualdade com os sindicatos globais e o público em geral” no Geneva Press Club em 6 de março de 2020, em Genebra.

Fabrice Coffrini | Agence France-Presse | Getty Images

Na segunda-feira, um juiz do Supremo Tribunal Federal anulou as condenações criminais contra o ex-presidente de esquerda Luís Inácio Lula da Silva, em uma medida que pode permitir que o famoso político concorra às eleições presidenciais do ano que vem.

A decisão causou turbulência nos mercados financeiros e abalou as expectativas sobre a corrida de 2022, com muitos investidores apostando que ela polarizaria os eleitores entre o presidente Jair Bolsonaro, populista de extrema direita, e Lula, seu maior oponente na esquerda.

Em decisão surpreendente, o juiz Edson Fashion disse que um tribunal da cidade de Curitiba não tem autoridade para processar Lula por corrupção e que ele deve ser julgado novamente na Justiça Federal da capital, Brasília.

O Ministério Público brasileiro informou que vai recorrer da decisão, que também será analisada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal.

O real caiu 1,5%, seu nível mais baixo em quatro meses após a notícia, e o índice da Bolsa de Valores Bovespa caiu 3%. O rial fechou em 5,7779 por dólar, seu nível mais baixo desde maio do ano passado.

Analistas financeiros disseram que a perspectiva da candidatura de Lula provavelmente levará Bolsonaro a abandonar as reformas econômicas que instituiu em 2018 e adotar medidas mais populistas para angariar apoio.

“Com a qualificação de Lula, aumenta a chance de o atual governo estar totalmente voltado para o populismo”, disse Alfredo Menezes, sócio-diretor da Armour Capital.

READ  Equilibrando crescimento e sustentabilidade: lições do Brasil

Lula governou o país mais populoso e a maior economia da América Latina entre 2003 e 2011 e supervisionou o boom das commodities que impulsionou o crescimento econômico.

Em 2018, ele foi considerado culpado de receber propina de firmas de engenharia em troca de contratos públicos e passou um ano e meio atrás das grades, até que a Suprema Corte decidiu que ele e outros poderiam apelar de seus casos sem perder tempo.

Lula confirmou sua inocência e disse que o caso contra ele tinha motivação política. Sua condenação o impediu de concorrer a outro mandato.

O carismático ex-líder sindical é uma figura polarizadora, mas ainda amado por grande parte da classe trabalhadora no Brasil por ter tirado milhões da pobreza por meio de generosos programas de bem-estar.

Lula é o único entre 10 candidatos em potencial em 2022 que superou o Bolsonaro em pesquisa realizada pela empresa Ipec e publicada no jornal O Estado de S.

Ele descobriu que 50% das 2.0002 pessoas que entrevistei “definitivamente” ou “poderiam” votar em Lula, em comparação com 38% em Bolsonaro. A pesquisa constatou que cerca de 44% dos entrevistados disseram que nunca votariam em Lula, enquanto 56% nunca votariam em Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *