Jair Bolsonaro planeja violar as regras para vacinas de Nova York na reunião da ONU | Jair Bolsonaro

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, indicou que ignorará as regras de vacinação da cidade de Nova York quando viajar para a Assembleia Geral das Nações Unidas na próxima semana, alegando que não recebeu uma injeção de Covid.

Bolsonaro é o único líder do G20 a afirmar publicamente que não foi vacinado contra uma doença que já matou cerca de 600 mil brasileiros, apesar da decisão de tomar essa decisão. Pedido secreto de 100 anos Seus registros de imunização significam que muitos cidadãos duvidam dessa afirmação.

Na noite de quinta-feira, Bolsonaro reiterou sua suposta decisão de recusar a vacina, embora as autoridades de saúde da cidade de Nova York tenham dito que os delegados devem mostrar uma prova de vacinação se planejam comer dentro de casa ou entrar no salão de assembléia.

“Por que eu poderia ser vacinado?” Presidente de extrema direita do brasil anunciar Durante uma transmissão pela Internet, ele alegou que seus níveis de anticorpos estavam altos demais para serem necessários. Bolsonaro testou positivo para Covid-19 em julho de 2020.

“Assim que todos estiverem vacinados, eu decidirei meu futuro”, acrescentou Bolsonaro, usando o dedo para limpar o nariz.

A presença do líder brasileiro na reunião das Nações Unidas parece certa depois que o secretário-geral Antonio Guterres admitiu que seria impossível bloquear o acesso de chefes de estado não vacinados. Delegados irão Não é necessário apresentar prova de vacinação Antes de participar do evento, Bolsonaro fará seu discurso de abertura na terça-feira.

Mas a decisão de Bolsonaro de ignorar os mandatos do prefeito Bill de Blasio para vacinas atraiu críticas internas e é improvável que ajude o líder brasileiro em sua busca declarada de ganhar o mundo na assembleia na próxima semana.

“Adivinhe qual político não foi vacinado e exporá seu país e seus cidadãos a outro constrangimento internacional?” chilro Erica Kokai, deputada do Partido Trabalhista de Esquerda (PT).

Quando o presidente pró-Trump do Brasil fez sua última aparição pessoal na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2019, ele fez um discurso sinistro de 30 minutos atacando a mídia e a esquerda.

Alguns relatórios sugerem que Bolsonaro planeja suavizar este ano como parte dos esforços para consertar os laços com o sucessor de Trump, Joe Biden, e apaziguar o mundo antes da cúpula do clima COP26 em novembro. um relatório Da CNN Brasil, cuja cobertura costuma ser simpática ao presidente brasileiro, ela afirmou que Bolsonaro planejava fazer um “discurso pró-Biden” sobre temas como mudanças climáticas, desenvolvimento sustentável e combate ao desmatamento.

Os especialistas duvidam que tal mudança retórica convença a comunidade internacional, dados os danos causados ​​ao meio ambiente desde que Bolsonaro assumiu o cargo em janeiro de 2019. “Eu realmente não acho que o mundo compraria isso tão facilmente”, disse Suely Araújo, ex-chefe da Agência de meio ambiente do Brasil, Ibama., Disse ela em uma entrevista recente.

READ  A história da SEC "Hold the Rope" lista a escalada do LSU Baseball, cortesia da lenda do treinamento, Skip Bertman

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *