Inflação no Brasil atinge máxima de quatro anos antes do aumento da taxa de juros

A inflação anual no Brasil atingiu a maior alta em quatro anos em fevereiro, deixando o banco central sob forte pressão para apresentar um grande aumento nas taxas de juros na reunião de política da próxima semana.

A inflação anual acelerou para 5,20% em fevereiro, o nível mais alto desde janeiro de 2017 e bem acima da meta deste ano de 3,75%, informou a Agência Nacional de Estatística na quinta-feira. No mês, a forte alta dos combustíveis fez com que os preços ao consumidor subissem 0,86%, acima de todas as estimativas da pesquisa da Bloomberg.

A leitura da inflação, o último grande lançamento antes da reunião de fixação de taxas dos banqueiros centrais, revela a crescente urgência em reduzir as taxas. As taxas de swap subiram nos contratos de curto prazo após os dados, uma vez que os investidores precificaram as oportunidades para aumentar o custo dos empréstimos em 75 pontos base. Os legisladores já indicaram planos de aumentar a Selic ainda este ano, mas as preocupações com gastos públicos e uma moeda fraca estão empurrando as apostas dos investidores para frente.

O que diz a Economia da Bloomberg

A inflação brasileira surpreendeu positivamente e os fundamentos permaneceram elevados nos bastidores em fevereiro. O aumento dos preços das commodities em meio à contínua fraqueza da moeda deve manter as expectativas de inflação de curto prazo – e a política monetária – sob pressão. “

Adriana Dubetta é economista latino-americana

Os custos dos empréstimos foram reduzidos ao mínimo histórico de 2% em 2020, enquanto o governo do presidente Jair Bolsonaro injetou bilhões de dólares em gastos emergenciais na economia. Essas políticas ajudaram a manter a inflação sob pressão, enquanto o Congresso se prepara para aprovar uma segunda rodada de alívio da pandemia na quinta-feira.

READ  A Índia exportou 37% das vacinas COVID-19 como presentes - Notícias de negócios

Os custos de transporte aumentaram 2,28% em fevereiro devido ao aumento de 7,09% nos preços dos combustíveis, de acordo com a Agência Nacional de Estatística. Os preços da educação aumentaram 2,48% no início do ano letivo, enquanto a inflação de alimentos e bebidas diminuiu de 1,02% em janeiro para 0,27%.

Globalmente, os preços do petróleo foram dilacerados desde novembro, com o aumento da demanda. No Brasil, Bolsonaro respondeu ao aumento dos custos demitindo o chefe da estatal Petróleo Brasileiro SA, mais conhecida como Petrobras, gerando temores de novas intervenções governamentais.

Andres Abadia, economista-chefe para a América Latina da Pantheon Macroeconomics, disse que o surto agora piorando da Covid-19, combinado com o aumento dos riscos e erros políticos, levou os investidores a se desfazerem dos ativos brasileiros, exacerbando as expectativas de inflação. O rial perdeu quase 9,8% nos últimos três meses, sendo o pior desempenho entre as principais moedas.

“A onda de vendas este ano foi significativa. O banco central está cada vez mais ansioso”, escreveu al-Abadi em nota a clientes na quinta-feira.

Esta história foi publicada a partir do feed da agência de notícias sem modificações de texto. Apenas o título mudou.

participação em Boletins informativos de hortelã-pimenta

* Digite um e-mail disponível

* Obrigado por assinar o boletim informativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *