Haddad: governo Lula deve rever restrições de gastos obrigatórios no Brasil

Reuters | 08 de abril de 2023 18:25 ET

BRASÍLIA (Reuters) – O ministro da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, disse que o governo brasileiro deve rever as regras sobre aumentos obrigatórios de gastos e restrições orçamentárias antes do final do ano, uma vez tomada a decisão de reformar o sistema tributário.

“O que queremos discutir depois da reforma tributária é uma regra que acabe com a divisão e a mudança e dê mais estabilidade a esse tipo de gasto”, disse Haddad em entrevista publicada no jornal Folha de Paolo neste sábado.

Ele disse que os governos progressistas acabaram com a regra que vinculava o gasto ao crescimento da receita, depois vêm os governos conservadores e a reintroduzem, acabando com o compromisso de gastar valores fixos em áreas como educação e saúde.

Os governos brasileiros lutam constantemente com gastos porque 95% do orçamento federal está vinculado a gastos obrigatórios, deixando apenas 5% para gastos discricionários.

Ao apresentar o novo quadro fiscal que propõe limitar o crescimento real do gasto público, os funcionários do Tesouro disseram que seria necessário rever o gasto mínimo com saúde e educação, atualmente vinculado ao nível de receita do governo, para evitar a queda de outros gastos. Regiões.

Haddad disse que não poderia antecipar os gastos que serão revistos, e se incluirão reajuste do salário mínimo e dos salários dos servidores públicos, porque essas decisões cabem ao presidente Luís Inácio Lula da Silva.

Receba as notícias que você deseja

Leia as notícias de ação do mercado com um feed personalizado para as ações nas quais você está interessado.

Baixe o aplicativo

READ  Ações da Telefonica Brasil: 7% de Dividend Yield, Bullish (NYSE: VIV)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *