Geladeiras e freezers sem eletricidade

Investigadores da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveram frigoríficos e congeladores movidos a energia solar, com o objetivo de os implementar na África subsariana, em zonas sem eletricidade.

O kit modelo, que levou dois anos para ser desenvolvido, funciona a partir de painéis fotovoltaicos e faz parte dos refrigeradores energeticamente eficientes fora da rede para o Projeto de Eletrificação Rural da África.

O objetivo do projeto é desenvolver protótipos, que já se mostraram eficazes, em áreas onde não há acesso à energia elétrica.

Evandro Garcia, principal pesquisador do projeto, disse à imprensa que mais de 500 milhões de pessoas na África subsaariana não têm acesso à eletricidade. Como tal, não há como preservar os alimentos com segurança e evitar o desperdício de alimentos. A pesquisadora destaca ainda que a implantação do projeto terá impactos em diferentes níveis: econômico, social e ambiental.

Embora seja um projeto pensado para países em desenvolvimento, os refrigeradores podem ser colocados em grandes cidades e usados ​​em momentos em que a eletricidade é mais cara.

Os protótipos são feitos “através de sistemas de impressão 3D e funcionam como baterias térmicas”. Durante o dia, o protótipo utilizará a energia solar obtida pelo sistema fotovoltaico, e à noite a temperatura é mantida pelo refrigerante emitido, que é acumulado nos módulos.

Os resultados positivos obtidos com o projeto levaram Evandro Garcia a receber uma bolsa de doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, para poder prosseguir com a sua “Investigação e Desenvolvimento de Protótipos”.

READ  Fulham fechou acordo de £ 17,2 milhões para o meia português João Balenha, do Sporting de Lisboa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.