Endrik não tem pressa em ser titular do Brasil na Copa América: ‘Ninguém precisa pular etapas’

O astro brasileiro Endric diz que esperará pacientemente pelas oportunidades se – como esperado – não for titular pelo seu país na Copa América.

O jovem de 17 anos, que ingressará no Real Madrid após o torneio, marcou um gol pela Seleção contra Inglaterra e Espanha em março passado. Apesar disso, ele deve começar a partida do Grupo D contra a Costa Rica, na segunda-feira, no banco de reservas, já que o técnico brasileiro Dorival Junior prefere o trio de ataque formado por Vinicius Junior, Rodrigo e Rafinha.

Em declarações à imprensa nesta sexta-feira, o atacante disse: “Ninguém precisa pular etapas”. “Tudo vai acontecer no seu tempo. Tudo no tempo de Deus – e no tempo do Dorival. Ele é um treinador incrível. Ele faz o que é melhor para o time, não só o Endrik, o Vinicius Junior ou o Rodrygo. Acho que ele está fazendo a coisa certa .”

Vá mais fundo

Indrik, Yamal e Baez: Como vocês gerenciam as crianças nos principais torneios internacionais?

Endrik, que pode jogar no ataque, prometeu espalhar positividade dentro do time brasileiro mesmo que não esteja em campo – e estar pronto para aproveitar a primeira oportunidade que surgir.

“Farei o que puder, seja jogando ou incentivando outras pessoas”, disse ele. “Procuro ajudar o espírito de equipe fora de campo, procuro criar um clima bom. Quando o Dorival me colocar, vou lutar a vida toda.

O adolescente também falou sobre o escrutínio que envolve ser uma sensação na mídia no Brasil. Endrik é um nome conhecido desde seus tempos na academia do Palmeiras e pareceu estar sob pressão por um tempo após sua promoção ao time titular. No entanto, ele agora insiste que está mentalmente preparado para enfrentar os desafios que virão.

READ  Sinta a magia, sinta o Brasil no Pavilhão do Brasil. - Notícias

“As pessoas sempre disseram que eu sentia pressão”, disse ele. “Eu tinha na cabeça que tinha que marcar gols, corresponder às expectativas, mas minha mentalidade mudou e agora não me importo com a pressão ou com o que a mídia diz.

“Sempre fui visto como um talento precoce. Desde que subi ao nível mais alto, os adversários têm falado coisas no meu ouvido, me socado, me xingado, falado coisas sobre minha namorada e meu irmão. agora é assim desde os 16 anos.” Me adaptei e agora estou muito tranquilo com tudo e só quero ajudar a Seleção o máximo que puder.

aprofundar

Vá mais fundo

Guia da seleção brasileira para a Copa América: Com Vinicius Junior, Rodrigo e Sávio, quem precisa de Neymar?

(David Rosenblum/Icon Sportswire via Getty Images)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *