Diretrizes do NHS sobre o parto estão atoladas em controvérsia

Corpo de médicos oficiais pede ‘cancelamento imediato’

Assim que as novas diretrizes de saúde sobre o parto foram anunciadas, o corpo oficial de médicos (Ordem dos Médicos) partiu para a ofensiva.

A linha inferior é essa tendência Em gestações de baixo risconão requer nenhum tipo de maquinário, Enfermeiras especializadas podem fazer partos de recém-nascidos sem a presença de um obstetra.

O pano de fundo desta nova directiva é um Grave falta de cobertura obstétrica em todo o país. As maternidades estão em sério perigo há vários meses, devido ao fato de simplesmente não haver obstetras governamentais suficientes.

O plano da DGS (Autoridade de Saúde) é, no papel, “lógico” na medida em que Cada vez mais bebés nascem em Portugal ‘em casa’Seus pais escolheram a expertise de “doulas” profissionais e parteiras registradas, evitando a confusão total que permeia os partos hospitalares.

Mas para Ordem, o conceito é simplesmente inaceitável.

A situação é duplamente frustrante para a DGS que insiste que a orientação está “ok” por parte dos cinco representantes da Ordem que acompanharam o processo de tomada de decisão que lhe está subjacente.

Uma declaração posterior da Ordem indica que não é bem assim. A entidade refere que embora aceite “participar activamente na Comissão de Acompanhamento da Resposta às Emergências Obstétricas/Ginecológicas e Barreiras Obstétricas com apresentação de propostas” para “melhorar as respostas em saúde materno-infantil”, As opiniões técnicas de seus representantes médicos não foram consideradas e não constam do documento publicado.”.

A Ordem acrescenta que os seus cinco representantes “desconheciam a versão final do relatório” e “foi excluído do documento o nome do representante da Faculdade de Obstetrícia e Ginecologia da Ordem dos Médicos”, que classifica como “um Desrespeito institucional.

READ  O deslumbrante castelo do Arquipélago Berlingas em Portugal

“O não envio do relatório final (…) Revela uma ação não cooperativa em um assunto de grande importância À população e aos cuidados de saúde em Portugal.

Então é uma grande confusão – há tantos casos em Portugal hoje em dia.

Entretanto, os enfermeiros especialistas disseram estar totalmente preparados para assumir as suas novas responsabilidades. Eles são especialmente treinados para entregar bebês saudáveis ​​a mães saudáveis, então seria surpreendente se não o fizessem.

É o que pensa Guadalupe Simões, Presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses Orientação ‘Atrasado’: os enfermeiros estão dispostos a isso há muito tempo, Ela disse à SIC Notícias.

Mas o sistema é contra a nova directiva, “a forma como o processo tem sido conduzido, pelo que” os cinco “representantes” da comissão já se demitiram “e nestas circunstâncias não se pensa na sua substituição “.

[email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *