De volta ao jogo: Portugal dobra seu pico pré-pandêmico para investimentos voltados para a exportação

No ano passado, Portugal mais do que duplicou o seu recorde pré-pandémico de investimento em projectos de exportação, disse o chefe da agência governamental que promove o investimento e as exportações, mostrando que continua a ser um destino atraente para as empresas estrangeiras.

A AICEP, que oferece incentivos fiscais e outros incentivos às exportações e ao investimento, atraiu 2,68 bilhões de euros (US $ 3,05 bilhões) desses investimentos de “alto valor agregado e inovadores”, após 287 milhões de euros em 2020.

Seu presidente, Luis Castro Henrique, disse à Reuters que os investidores até agora não mostraram “nenhum sinal de preocupação” com a estabilidade política em Portugal antes das eleições gerais em 30 de janeiro, depois que o parlamento rejeitou o projeto de lei do governo socialista minoritário para este ano. . Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Os investimentos do ano passado quebraram o recorde anterior de 1,17 bilhão de euros em 2019, antes da pandemia do coronavírus.

Com as viagens de CEOs restringidas pela pandemia, o AICEP começou a usar contatos online extensivamente e atraiu 97 investimentos em 2021, “quase todos projetos industriais”, com empresas estrangeiras respondendo por cerca de 80% do financiamento total.

“Estes números mostram que Portugal é altamente competitivo na medida em que atraímos estes investimentos numa concorrência global aberta”, disse Castro Henriques, referindo que têm vindo regularmente fundos de novas fontes como a Coreia do Sul e os Estados Unidos, complementando o investimento europeu.

Os projetos incluíram uma usina de metal a ser construída pelo fabricante sul-coreano de torres eólicas CS Wind (112610.KS), uma linha de produção de componentes para motores de veículos elétricos pela empresa norte-americana BorgWarner e outros nas indústrias aeroespacial, automotiva, de celulose e papel.

READ  O setor de restaurantes de Portugal pediu ao governo que suspenda seu último decreto impraticável

A AICEP oferece incentivos, incentivos fiscais e empréstimos dos fundos de coesão da UE a empresas que apenas realizam atividades voltadas para a exportação.

Os projetos apoiados pelo último plano de estímulo de cinco anos do AICEP devem adicionar € 4,4 bilhões em exportações, ou mais de 2% do PIB, e milhares de empregos.

(1 dólar = 0,8842 euros)

Registre-se agora para obter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

(Reportagem de Sergio Gonçalves; Edição de Andre Khleib e Timothy Heritage)

Nossos critérios: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *