Como serão os encontros em uma vida pós-quarentena?

A situação pandêmica da COVID-19 e o que se espera dela, em termos de uma nova normalidade de vida, cria uma atmosfera de dúvida e, ao mesmo tempo, faz com que a imaginação dê ainda mais espaço para a criatividade. 

A sexualidade passa pelo contexto atual de pandemia, mudando abruptamente a percepção e as práticas eróticas à luz da estranheza social. O uso de máscaras, protocolos de higiene extrema e o retorno à vida além da paisagem da janela é o novo dia a dia. Há uma mudança mental, sobre os desejos e os moldes de viver a vida com uma certa normalidade com a presença do Coronavírus. Neste sentido, é possível notar um crescimento considerável no número de memes com conotação sexual. Baseado em piadas que falam do aumento da masturbação, desejos sexuais sem poder ter contato físico com as gatas acompanhantes em Brasilia, ou sobre quem faz mais ou menos sexo. Ao mesmo tempo, a idéia de sexo intercalada com o risco, se funde entre todos na sociedade.

A distância social permite, de uma maneira geral, um tempo de pausa para o autoconhecimento. É um tempo que leva a aprender a tomar a situação de uma forma menos problemática para a saúde mental. 

Portanto, Skokka está curiosa em saber como poderiam ser os encontros após este confinamento e pandemia vividos nos últimos meses. Afinal de contas, é quando os pensamentos crescem sobre futuros encontros e reencontros. É um fato que a vida é uma imensidão de relacionamentos e é hora de se adaptar à realidade pós-quarentena.  

A busca de um parceiro compatível

Desde o início da pandemia, nos mais diversos países do mundo, as pessoas começaram a buscar respostas para as dúvidas existenciais dentro de si mesmas. Por outro lado, acredita-se que muitas dessas respostas são mais reais quando alguém encontra no outro, um possível complemento às idéias, que agora, fazem parte de uma rotina totalmente diferente. 

Entre os solteiros, o medo em tempos de confinamento é ter os desejos sexuais mais ardentes sem poder ter alguém com quem compartilhá-los, como quando se poderia encontrar com as garotas acompanhantes bem lindas no Rio de Janeiro. É quando há ainda mais dúvidas sobre como continuar a vida após uma pandemia, pois, por enquanto, é aconselhável manter distância física e até mesmo, usar sempre máscaras. 

Os tempos de isolamento social mostram que os códigos de sedução começam uma nova fase. O momento sugere muito mais do que ter relações sexuais, e é quando os casais se descobrem depois de anos juntos. Alguns ficam mais fortes, outros decidem que é melhor se separar.

READ  Claro Brasil traz a primeira rede 5G para a América Latina com o Ericsson Spectrum Sharing

Dados os comportamentos que a vida pós-pandêmica exige, as pessoas solteiras começam a pensar que talvez seja a hora de encontrar alguém que possa ser complementar e ajudar a superar os tempos vindouros. 

Muito mais do que um encontro, os tempos após a quarentena geram uma atmosfera de tensão enquanto tem o poder de criar laços para interesses que se tornam comuns.

Mais conversa, conhecendo a pessoa, e menos sexo

Apaixonar-se, fazer sexo com as mais belas acompanhantes em Anápolis, amar e ser amado… tudo isso ainda existe. Mas por que arriscar se é possível transformar o tipo de relacionamento para que tudo corra bem? É um momento de mudança na sociedade, mas os desejos de ter sexo não se alteram. 

E isso significa que as pessoas não podem ter relações sexuais? Claro que não, o sexo é permitido, mas com precaução. O momento requer criar conexões para saber que haverá menos riscos no momento de ter relações sexuais com outras pessoas. 

Entretanto, é claro que a incerteza e os medos sobre o contato físico se tornam mais fortes. O fato de que a transmissão do vírus ainda é através de gotículas de saliva ajuda o argumento de que conhecer um ao outro intelectualmente vale mais do que ter relações sexuais num primeiro encontro. Tempos de máscaras e álcool gel nas mãos pedem calma e paciência.

Desde o início, os “encontros virtuais” ganharam espaço, até chegar o momento pós-quarentena, permitindo que fosse a vez do encontro físico.  Enquanto o sexo é uma coisa física, os encontros após um isolamento podem mudar novamente seus papéis. 

Assim como anteriormente, os solteiros tinham certeza de que a vida em bares e festas, com sexo no final da noite fazia mais sentido, hoje, talvez, ouvir e se importar com alguém, pareça fazer muito mais. Aprender a lidar mais profundamente com novos relacionamentos e que sempre haverá alguém que possa compartilhar, acrescentar e complementar a vida. É possível que daqui a algum tempo tudo volte a ser como antes. No momento, é melhor manter as partes boas, como o sexo virtual com as acompanhantes.

READ  Portugal x Israel: transmissão ao vivo, placar (2-0) | 06/09/2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *