Como o Cricket Brasil reescreveu as regras do jogo com contratos femininos

Em janeiro de 2020, o jogador de críquete brasileiro é totalmente profissional, à frente dos homens – a liga ganhou o Prêmio 100% para Iniciativa de Críquete Feminino no ICC Global Development Awards.

Lara Bettencourt fez a seleção em janeiro de 2020, o que mudou suas vidas. Eles decidiram se comprometer em ser um jogador de críquete em tempo integral com a seleção brasileira feminina.

O jovem de 18 anos disse: “Minha dieta mudou, meu estilo de vida mudou e até meu grupo social de amigos mudou.” “É isso que eu quero fazer, então eu sabia que teria que fazer muitas mudanças, mas é uma ótima experiência e a cada dia que passa eu sei que fiz a escolha certa.”

Laura Cardoso, de 15 anos, trabalha ao lado de Bittencourt cinco dias por semana. Cardoso, destro e goleador de média velocidade pela seleção nacional, vem demonstrando um talento excepcional no críquete desde os 12 anos de idade, participando de projetos comunitários do Cricket Brasil e rapidamente subindo na hierarquia.

Agora, ela é um equilíbrio entre a escola e o calendário difícil de críquete. Mas, de acordo com Madre Allen, Cardoso está se tornando mais disciplinado e responsável do que nunca. Ela está determinada a não perder esta oportunidade.

Bettencourt e Cardoso estavam entre os 14 jogadores a ganhar o primeiro contrato profissional de críquete em tempo integral no Brasil em janeiro de 2020. A decisão inovadora do Cricket Brasil não só deu um novo rumo às suas vidas, mas também foi um impulso para o críquete no país amante do futebol e conquistou a aprovação do Brasil para o Mundial por seus avanços no esporte feminino.

READ  Jojo Todynho e Lipe Ribeiro lutam contra os feios e os internautas baixam a tag "Cancelado"

A iniciativa agora é reconhecida no ICC World Development Awards na categoria 100% Women’s Cricket Initiative for Cricket. O prefeito de Poços de Caldas, cidade localizada a 150 quilômetros de São Paulo e berço do críquete no Brasil, inicia cada discurso com a frase “Eu sou o prefeito de Poços de Caldas, a cidade brasileira onde as crianças jogam críquete mais do que futebol” ; Agora, ele tem outra conquista no críquete para se orgulhar.

Para jogadores contratados – o número aumentou para 15 em 2021 – ser um profissional exige o recebimento de um pagamento mensal para praticar o críquete. Eles treinam cinco dias por semana, das 13h às 17h30, em um centro de alto desempenho e têm sessões de ginástica quatro dias por semana com personal trainers. No centro, eles podem contatar médicos e especialistas para orientá-los sobre sua dieta e saúde mental. A partir de 2022, os contratos de um ano também incluem uma cláusula de gravidez.

Dependendo da idade, alguns devem se matricular em uma universidade local de educação física à noite para obter um diploma de quatro anos.

Todos eles são obrigados a ajudar nos programas de desenvolvimento comunitário – os mesmos programas que o críquete lhes foi oferecido. A associação quer que eles sejam um modelo para a próxima geração de meninas e meninos que praticam esportes.

A decisão da Cricket Brasil de conceder contratos para mulheres foi particularmente significativa, pois se tornou a primeira nação afiliada a assinar por completo a seleção feminina à frente da masculina.

Fazia todo o sentido para a associação: as mulheres brasileiras estavam classificadas melhor (# 27) do que os homens (# 71, 19 de abril) no MRF Tires ICC T20I Team Rankings. As mulheres venceram quatro dos últimos cinco torneios na América do Sul e estão na melhor posição para entrar no escalão superior dos Associados, abrindo oportunidades de financiamento e competição global. Talvez, com o apoio certo, possa haver uma aparição na Copa do Mundo em alguns anos.

READ  Apex-Brasil analisa oportunidades de investimento no setor de energia no Brasil durante o evento virtual

Além disso, enquanto as pessoas jogavam nas ruas um jogo denominado “taco” ou “casa do ombro”, que em alguns aspectos se assemelha ao críquete, o país não tinha uma longa tradição neste desporto. Isso significava que não havia oposição a ver o futebol feminino como um veículo de crescimento, e não o masculino.

Matt Featherston, Diretor de Desenvolvimento da Cricket Brasil, explicou como um novo esporte se tornou uma vantagem quando se trata de um esporte com equilíbrio de gênero. Ele disse: “Tínhamos uma folha de papel inteira em branco sobre as idéias e conceitos do jogo.” “Este não é o caso em muitos países onde o jogo é jogado há centenas de anos e vem com muitos protocolos.

Portanto, nossa missão era primeiro deixar os brasileiros adicionarem um pouco de seu talento natural e, o mais importante, começar como um jogo para ambos os sexos. Nunca foi um esporte “masculino” ou “feminino” no Brasil, mas sempre foi um esporte para todos. Isso ajuda tremendamente como nos programas Nosso críquete, somos quase 50/50 divididos por gênero.

Muito trabalho foi feito para tornar esses contratos uma realidade. Grande parte disso foi conversar com os pais dos jogadores, acalmar suas mentes sobre as oportunidades no críquete e preparar passaportes para os jogadores.

“Nossa maior preocupação não era como os jogadores reagiriam, porque eles já estavam no críquete há algum tempo, mas como suas famílias reagiriam”, disse Featherston. “É preciso imaginar que muita gente ainda não sabe bem o que é o críquete no Brasil, e a ideia de que suas filhas iriam embarcar em uma carreira que não é o esporte mais divulgado no Brasil ou na América do Sul foi muito assustador. ”

READ  EIG concorda em vender participação minoritária na Transportadora Brasileira Gasoduto Bolivia-Brasil (TBG) para a Fluxys

Mas com iniciativas como essas, mais brasileiros estão começando a abraçar o esporte e a equipe como se fossem seus. A história do críquete country, que começou em Poços de Caldas em 2009 com 26 crianças de um orfanato local, está crescendo. Hoje, 5.000 crianças brincam em 50 escolas, que são ensinadas por treinadores locais, muitos dos quais são os primeiros a ir para a universidade em família e têm um impacto social em comunidades carentes.

Depois disso, a associação tem planos ambiciosos de expandir para 33.000 participantes nas regiões vizinhas assim que o COVID for suspenso. Se tudo der certo, mais prefeitos farão eco a Poços de Caldas e encontrarão outro belo jogo florescendo em seus bairros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *