Comitê da Petrobras rejeita candidatos ao conselho de administração

Uma foto do logotipo da Petrobras é vista em um tanque na refinaria Petrobras Paulinia em Paulinia, Brasil, em 1º de julho de 2017. REUTERS/Paulo Whitaker // Foto de arquivo

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

14 de julho (Reuters) – O comitê de elegibilidade disse na quinta-feira que dois dos sete candidatos do governo brasileiro a membros do conselho da petrolífera estatal Petróleo Brasileiro (PETR4.SA) não atendem aos requisitos para preencher o cargo.

O comitê concluiu, segundo a ata de sua última reunião, que Jonatas Assunção Salvador Neri de Castro e Ricardo Soriano de Alensar, ambos selecionados pelo presidente Jair Bolsonaro, são inelegíveis para integrar o conselho de administração da gigante do petróleo com base em seus estatutos.

A comissão, conhecida como Celeg, apurou que ambos os candidatos teriam conflitos de interesse no conselho, uma vez que ambos ocupam cargos de alto escalão no governo Bolsonaro. Castro é funcionário da Casa Civil, enquanto Alencar é procurador-geral da Fazenda Nacional.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

O relatório Celeg não é vinculativo. Ambos os candidatos ainda podem atuar no Conselho de Administração até a aprovação do atual Conselho de Administração e dos acionistas da Petrobras.

Os outros cinco governos selecionados por acionistas minoritários receberam luz verde da comissão.

Em junho, o comitê de elegibilidade deu sinal verde para nomear Cayo Pais de Andrade como CEO da estatal. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Peter Frontini) Edição de Margherita Choi

READ  Projeto GNA LNG-to-power inicia operações comerciais

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.