Com o aumento do número de vítimas do coronavírus, as divisões políticas do Brasil se espalharam pelas ruas

Paolo Sid Engener, 55, que participou de um desses recentes comícios de motociclismo, disse que considera Bolsonaro um líder fundamentalmente honesto que foi injustamente atacado por instituições científicas e pela mídia.

“Admito que minha indignação se transformou em emoção”, disse ele, lembrando como se sentiu em um comício pró-governo no início deste mês no Rio de Janeiro. “Poderei contar aos meus filhos e netos que participei de um movimento por um país melhor”.

O governo também foi abalado por escândalos não relacionados à epidemia.

o Estado O jornal revelou no início de maio O fato de o governo de Bolsonaro ter canalizado centenas de milhões de dólares para iniciativas e compras questionáveis ​​fortaleceu a mão de legisladores aliados importantes. Um caso diz respeito à compra de tratores pelo governo a um preço de 259 por cento.

Dias após a denúncia do Estadão, a Polícia Federal expediu mandados de busca e apreensão no Ministério do Meio Ambiente como parte da investigação de um suposto esquema para permitir a exportação ilegal de madeira da região amazônica.

Em meio ao barulho de más notícias, Bolsonaro manteve uma agenda de viagens lotada, com foco em estados eleitoralmente importantes no nordeste do Brasil, destacando os investimentos em infraestrutura e serviços básicos.

O principal rival político do presidente, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, se absteve de apoiar os protestos de rua. Mas Lula, que recentemente venceu batalhas judiciais em um caso de corrupção que restaurou seu direito de concorrer a um cargo eleito, está claramente apreciando a perspectiva de enfrentar as bases contra o incumbente em apuros. Pesquisas de opinião recentes mostram que Lula está pouco à frente de Bolsonaro na disputa presidencial do próximo ano.

READ  Trabalhadores de frigoríficos no Brasil correm risco de plano 'inimaginável' para reduzir tempos de descanso | Brasil

“Quando Bolsonaro sai às ruas, ele precisa de milhares de policiais para protegê-lo”, escreveu Lula no Twitter no sábado. “Será que ele pensa que tenho medo dele? Nasci nas ruas e passei toda a minha vida política nas ruas.”

Ernesto Londono reportou de São Paulo, Brasil, e Flavia Milhorance, do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *