Castillo está perto de vencer uma eleição presidencial apertada

Pedro Castillo esteve perto de vencer a eleição presidencial do Peru na quinta-feira, com o socialista tendo uma pequena vantagem de quase 70 mil votos sobre seu rival conservador Keiko Fujimori, que ainda não cedeu e alega fraude apesar das poucas evidências.

Castillo recebeu cerca de 50,2% dos votos e liderou 0,4 pontos percentuais com 99,3% dos votos, com apenas um pequeno número de votos contestados ainda sob escrutínio.

O professor e novato político conquistou amplo apoio público para suas promessas de reescrever a constituição e redistribuir a riqueza da mineração, embora tenha procurado amenizar os temores dos investidores nos últimos dias com um tom mais favorável ao mercado.

Mas Fujimori, que enfrenta novos problemas jurídicos na quinta-feira, não cedeu e está tentando anular cerca de 500.000 votos que considera suspeitos.

“Continuaremos defendendo o direito legítimo de milhões de peruanos até a última votação”, disse ela no Twitter.

O partido Libre peruano de Castillo afirma que não há evidências de atividades suspeitas. Observadores eleitorais independentes dizem que a votação foi conduzida de maneira limpa.

O Tribunal de Ética da Câmara Nacional de Arbitragem Eleitoral, órgão encarregado de fiscalizar a legalidade do processo eleitoral, disse na quinta-feira que questionar os resultados sem provas era “irresponsável”.

Washington disse que as autoridades eleitorais deveriam ter permissão para investigar qualquer alegação de fraude.

“Esperamos trabalhar com o candidato devidamente eleito”, disse um porta-voz do Departamento de Estado.

Presidente eleito?

Mas na América Latina, muitos já estavam comemorando a vitória de Castillo.

O presidente argentino Alfredo Fernandez foi o primeiro líder mundial a parabenizar Castillo, dizendo no Twitter que havia chamado o “presidente eleito” e expressado seu desejo de unir forças pela América Latina.

READ  Brasileiros organizam protestos em todo o país contra a resposta do presidente Bolsonaro ao Coronavirus

O atual governo interino do Peru afirmou em comunicado que apresentou uma “nota de protesto” à Argentina pelos comentários e que as autoridades eleitorais do país ainda não anunciaram oficialmente os resultados finais.

No Brasil, o ex-presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva, que deve desafiar o presidente de extrema direita Jair Bolsonaro nas eleições do próximo ano, disse que Castillo desferiu um golpe nos conservadores da região.

“O resultado das pesquisas de opinião no Peru é simbólico e representa mais um avanço na luta popular na querida América Latina”, disse.

Ele também parabenizou o ex-presidente boliviano Evo Morales Castillo por sua “vitória”, chamando-o de “uma alma gêmea e camarada na luta”.

Apostas legais

A fraca vantagem de Castillo sobre Fujimori era maior do que a margem de 0,24% que Fujimori perdeu para Pedro Pablo Kuczynski na eleição presidencial de 2016.

“Na época, Fujimori não pediu uma recontagem, mas devido aos seus riscos políticos e jurídicos, pode fazê-lo desta vez”, disse Eileen Gavin, analista principal da empresa de consultoria em risco Global Markets e Américas Verisk Maplecroft.

Fujimori passou mais de um ano na prisão aguardando julgamento por aceitar contribuições ilegais de campanha quando concorreu à presidência em 2011. Ela negou as acusações, chamando-as de perseguição política.

Na quinta-feira, o procurador-geral José Domingo Perez solicitou que a fiança de Fujimori fosse revogada e devolvida à custódia até o julgamento, alegando que ela havia mantido contato com uma testemunha.

O juiz vai apreciar o pedido nos próximos dias. Um porta-voz de Fujimori não respondeu a um pedido de comentários da Reuters.

“Os promotores têm o direito de pedir sua prisão, mas as pessoas vão interpretar isso como uma tentativa de interferir no processo eleitoral”, disse Ernesto de la Garra, advogado peruano de direitos humanos que critica Fujimori.

READ  O cargueiro ainda está encalhado no Canal de Suez, mas um funcionário egípcio disse que será lançado no final da semana

Ganhar a eleição presidencial suspenderá sua causa até o final de sua administração.

O Peru, que viu três presidentes em uma semana no ano passado em meio a escândalos e protestos políticos, foi atingido pelo surto de COVID-19 mais mortal do mundo em termos de mortes per capita. O segundo maior produtor mundial de cobre registrou seu pior declínio econômico em três décadas no ano passado.

Nossos critérios: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *