Brazil Chemicals apela ao Senado para implementar integralmente a isenção tributária do REIQ

São Paulo (ICIS) – O Senado brasileiro tem a oportunidade esta semana de implementar totalmente o corte de impostos REIQ para produtos químicos e evitar possíveis fechamentos de fábricas, já que as empresas continuam a enfrentar altos custos de insumos e baixos preços de venda, disse o grupo de comércio de produtos químicos do país, Abichem, nesta segunda-feira. .

O Senado brasileiro está programado para votar na terça-feira, 7 de novembro, uma reforma fiscal de longo prazo (Reforma Tributária em português) que visa simplesmente dividir os muitos impostos do país em três.

A Abiquim disse ter enviado uma carta aos senadores dos estados brasileiros que possuem unidades petroquímicas solicitando que incluam na reforma duas alterações que acelerariam a implementação do chamado Regime Especial da Indústria Química (REIQ). .

governo brasileiro
REIQ aprovado
Em agosto, mas dois meses depois, o REIQ ainda não foi implementado.

O REIQ reduziria a alíquota do PIS/COFINS paga pela indústria química para insumos da cadeia do xileno, incluindo nafta, benzeno, propeno, eteno, tolueno e cumeno.

O PIS e a COFINS incidem sobre a pessoa física ou jurídica brasileira (importador de bens ou serviços) e devem incidir sobre a importação de serviços às alíquotas de 1,65% e 7,6%, respectivamente.

No âmbito do REIQ, a relação PIS/COFINS será geralmente de 3,65%. Com a suspensão do REIQ no governo anterior de Jair Bolsonaro, a relação PIS/COFINS subiu para 9,25%, sendo o PIS responsável por 1,65% e a COFINS 7,6%.

Abikim solicitou que as duas alterações fossem incluídas na reforma na terça-feira, depois de o governo não ter regulamentado totalmente a implementação do REIQ.

O grupo também continuou negociando
Sua campanha contra
O que considera são importações para o Brasil de produtos químicos produzidos com padrões ambientais mais baixos e subsídios governamentais mais elevados.

READ  Grande nova rodada de Nubank, regras de leilão 5G lançadas, início do open banking

“A indústria petroquímica brasileira – a mais sustentável do planeta – dá sinais claros de que caminha para o processo de extinção por falta de apoio.” [from public institutions] “Enfrentamos a concorrência predatória de outros países que subsidiam e fornecem gás natural a partir de petróleo bruto a um preço mais barato”, disse Andre Bassos, CEO da APIKIM.

E acrescentou: “Se esta situação continuar, o setor corre o risco de fechar fábricas, principalmente as médias e pequenas, além do desemprego”.

Na segunda-feira, Abikim repetiu alguns números que, segundo ele, mostram a situação “crítica” em que se encontra a indústria química.

O grupo comercial disse que no período de janeiro a agosto, em comparação com o mesmo período de 2022, todos os indicadores medidos pela Abichem pioraram:

– Produção: -11,4%
– Vales interiores: – 10,8%
– Demanda interna: -6,3%
– Índice de preços: – 17,2%
– Utilização da capacidade: 65%, a menor em 30 anos
A parcela das importações que cobrem a procura interna: 47%, o que é uma percentagem elevada
– Exportações: -3,7%
– Importações: 6,0%
– Déficit comercial (Abrange o período de janeiro a setembro): US$ 35,8 bilhões, o que é um recorde

Segundo a Abiquim, a indústria química brasileira é a sexta maior do mundo, criando dois milhões de empregos diretos e indiretos e representando 11% do PIB industrial.

A produtora petroquímica e de fertilizantes brasileira Unigel anunciou que fechará sua fábrica em Camaçari, na Bahia.
Planta de fertilizante de nitrogênio
Num contexto de custos de insumos mais elevados devido aos valores do gás natural e preços de venda mais baixos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *