Brasil confirma casos de vacas loucas; Parada da exportação de carne bovina da China | Notícias de negócios e economia

O Ministério da Saúde do Brasil afirmou que não há perigo para a saúde humana ou animal após a descoberta de dois casos da doença.

O Brasil suspendeu as exportações de carne bovina para a China depois que dois casos de doença “atípica” da vaca louca foram confirmados em duas fábricas de carne domésticas distintas.

A suspensão das exportações de carne bovina começará imediatamente, disse o Ministério da Agricultura em um comunicado no sábado, acrescentando que Pequim decidirá quando começar a importar novamente.

A suspensão temporária foi feita ao abrigo de um protocolo bilateral existente entre os dois países, embora o ministério tenha sublinhado que “não há perigo para a saúde humana ou animal”.

O Brasil é o maior exportador mundial de carne bovina e a China é seu maior cliente. Mais da metade das exportações de carne bovina do Brasil vão para a China e Hong Kong.

O ministério disse que os dois casos foram “atípicos” porque a doença apareceu “de forma espontânea e intermitente, e não está relacionada à ingestão de alimentos contaminados”.

Dois casos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) foram identificados durante fiscalizações sanitárias nos estados de Minas Gerais e Mato Grosso em vacas idosas.

“O Brasil nunca registrou um caso clássico de doença da vaca louca”, disse o ministério, que informou oficialmente a Organização Mundial de Saúde Animal.

Em junho de 2019, o Brasil suspendeu temporariamente suas exportações de gado para a China depois que um caso atípico da doença da vaca louca em Mato Grosso foi detectado em uma vaca de 17 anos.

A BSE apareceu pela primeira vez no Reino Unido na década de 1980 e se espalhou para vários países da Europa e ao redor do mundo, preocupando os consumidores e causando uma grave crise na indústria de carne bovina.

READ  Mercados emergentes - Brasil real lidera perdas para câmbio latino

A doença foi disseminada amplamente por fazendeiros que alimentavam o gado com carne e ossos de animais mortos e infectados.

Então, as pessoas morreram depois de contrair a variante humana, a doença de Creutzfeldt-Jakob, que se acredita ser transmitida pela ingestão de carne bovina infectada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *