Brasil anuncia parceria com Elon Musk para conectar a floresta amazônica

O governo brasileiro anunciou uma parceria com a empresa Starlink de Elon Musk para operar satélites na floresta amazônica.

O plano foi anunciado em 20 de maio, durante a visita de Musk ao Brasil, onde se encontrou com o presidente Jair Bolsonaro e cinco ministros, além de 10 empresários locais em um hotel de luxo na zona rural de São Paulo.

Ao final do evento, Bolsonaro e o ministro das Comunicações, Fabio Faria, falaram brevemente à imprensa, descrevendo como os satélites Starlink, que devem sobrevoar diretamente a Amazônia nos próximos meses, podem ser úteis no fornecimento de banda larga para escolas, monitoramento de incêndios e derrubando florestas tropicais.

almíscar Ele disse no Twitter A Starlink conectará 19.000 escolas em áreas rurais. Em nota à imprensa, o Ministério das Comunicações reiterou o conteúdo do tweet, acrescentando que “os detalhes técnicos e específicos de investimento sobre a parceria serão discutidos posteriormente, com atores dos setores público e privado”, e nenhum contrato foi assinado. . na ocasião.

A parceria vem logo após o anúncio da agência de telecomunicações Anatel, em fevereiro, de que concedeu à Starlink, empresa de propriedade da empresa de voos espaciais SpaceX, o direito de operar no Brasil, com direitos de exploração com duração até 2027. A agência considerou conceder direitos até 2033, mas encurtou o intervalo de tempo.Delegando dada a ‘natureza pioneira’ do projeto e ‘potenciais impactos imprevistos’.

Na época do anúncio da Anatel, a empresa disse que planeja colocar 4.408 satélites em órbita como parte de seus planos de construir uma internet via satélite interconectada. A Empresa não terá direito à proteção e não pode fazer com que o serviço interfira com outros sistemas de satélite.

READ  Oferta de mercadoria do No Way Home de 3 novos ternos Spidey

Antes dos desenvolvimentos recentes, Musk e o presidente da SpaceX, Gwen Shotwell, e o ministro Faria se reuniram em novembro de 2021 durante uma missão técnica aos Estados Unidos para discutir projetos relacionados à conectividade e ao uso de tecnologia de próxima geração na região amazônica.

problemas ambientais

Bolsonaro tem sido criticado por seu governo lidar com questões ambientais no Brasil. O desmatamento na Amazônia brasileira aumentou 64% entre janeiro e março de 2022 em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a agência espacial nacional Inpe.

O chefe de Estado destacou que a visita de Musk ao Brasil foi um “marco” para o país e que a tecnologia mostraria a “verdade” sobre como preservar a Amazônia. “Claro que existem áreas propícias para queimadas e desmatamentos irregulares, mas a chegada de satélites nos ajudará a preservar [the rainforest]”, Ele disse.

“Agora, também precisamos desenvolver essa região que é muito rica em biodiversidade e riqueza mineral”, acrescentou o presidente. Bolsonaro ofereceu ao bilionário a oportunidade de explorar as reservas de nióbio do Brasil, e estudos notáveis ​​estão em andamento para adicionar grafeno para criar uma super bateria.

No entanto, as reservas de lítio do Brasil, a sétima maior do mundo, são mais interessantes para Musk desde que sua empresa Tesla mudou para baterias de fosfato de ferro e lítio para seus carros elétricos.

Eleito nas redes sociais em 2018, Bolsonaro descreveu Musk como um combatente da liberdade e que a intenção do empresário de comprar o Twitter por US$ 44 bilhões anunciada em abril era uma “brisa de esperança”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.