Bolsonaro diz que Biden o ignorou no G20, mas concordou em participar da cúpula dos EUA

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro fala durante uma cerimônia para anunciar novas medidas para o programa de crédito Brasil Empreendedor no Palácio do Planalto em Brasília, Brasil, 25 de maio de 2022. REUTERS/Adriano Machado

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, reclamou nesta quinta-feira que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o ignorou na cúpula do G20 do ano passado, citando a idade de 79 anos, ao confirmar que participaria de sua primeira reunião. Uma reunião bilateral em meio a relações mornas.

Bolsonaro, de 67 anos, disse que participará da Cúpula das Américas, que Biden sediará no próximo mês em Los Angeles, apesar do que chamou de “congelamento” nas relações Brasil-EUA desde que o presidente dos EUA assumiu o cargo em 2021.

“Eu o conheci no G20 (o grupo das principais economias) e ele foi como se eu não estivesse lá, mas é assim que ele trata todo mundo. Talvez seja a idade, não sei”, disse Bolsonaro a repórteres.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Bolsonaro, populista de direita e admirador declarado do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou que se encontrará com Biden à margem da cúpula. Bolsonaro foi um dos últimos líderes mundiais a reconhecer a derrota eleitoral de Trump em 2020 e ainda não conheceu Biden.

“Eu tendia a não aparecer”, disse ele aos repórteres. “Dado o tamanho do Brasil, não posso ir lá para tirar uma foto… eu não iria lá para sorrir e apertar a mão e tirar uma foto.”

Biden enviou seu assessor especial para a Cúpula das Américas, o ex-senador Chris Dodd, a Brasília na terça-feira para persuadir Bolsonaro a não faltar à reunião bilateral.

READ  Segunda fase do projeto de reforma tributária brasileira propõe redução de impostos para pessoas físicas e jurídicas

Bolsonaro disse que contou a Dodd sobre a mudança de comportamento dos EUA em relação ao Brasil quando Biden assumiu o cargo.

“Com Trump estava indo bem. Combinamos muitas coisas para fazer aqui no Brasil”, disse ele, sem dar mais detalhes.

Os presidentes da Argentina e do México disseram anteriormente que não participarão da cúpula em solidariedade aos governos de esquerda da Venezuela e Cuba, que não foram convidados.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, disse na quinta-feira que pensará e possivelmente tomará uma decisão final na sexta-feira. Consulte Mais informação

As relações entre Brasília e Washington permanecem geladas sobre o histórico ambiental de Bolsonaro e seus repetidos ataques ao tribunal eleitoral e ao sistema eleitoral do Brasil, que ele diz serem considerados vulneráveis ​​a fraudes sem provas.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Lisandra Paraguaso) Escrito por Stephen Grattan e Gabriel Araujo; Edição por Brad Hines, Anthony Boudl, Bill Bercrout e Aurora Ellis

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.