Balé Galáctico Capturado por Câmera Moderna de Energia Escura

O par interativo de galáxias NGC 1512 e NGC 1510 é o centro das atenções nesta imagem da Dark Energy Camera, o mais recente gerador de imagens de campo amplo do Telescópio de 4 metros Víctor M. Blanco no Observatório Interamericano Cerro Tololo, programa NOIRLab da NSF . A NGC 1512 está em processo de fusão com seu vizinho galáctico menor há 400 milhões de anos, e essa interação de longo prazo desencadeou ondas de formação de estrelas e distorceu ambas as galáxias. Crédito: Dark Energy Survey/DOE/FNAL/DECam/CTIO/NOIRLab/NSF/AURA, Processamento de imagem: TA Rector (University of Alaska Anchorage/NSF’s NOIRLab), J. Miller (Gemini Observatory/NSF’s NOIRLab), M. De Martin (NOIRLab da NSF)

A câmera de energia escura financiada pelo Departamento de Energia do NOIRLab da NSF no Chile captura um par de galáxias realizando um binóculo gravitacional.

O par interativo de galáxias NGC 1512 e NGC 1510 é o centro das atenções nesta imagem da Dark Energy Camera do Departamento de Energia dos EUA, a mais recente imagem de campo amplo de 570 megapixels no telescópio Víctor M. Blanco de 4 metros no Cerro Tolo Inter-American Observatório, é um programa afiliado da NSF NOIRLab. A NGC 1512 está em processo de fusão com seu vizinho galáctico menor há 400 milhões de anos, e essa interação de longo prazo desencadeou ondas de formação de estrelas.

A galáxia espiral barrada NGC 1512 (esquerda) e sua pequena galáxia NGC 1510 nesta observação (imagem no topo do artigo) foram capturadas pelo Telescópio Víctor M. Blanco de 4 metros. Além de revelar a complexa estrutura interna da NGC 1512, esta imagem mostra os fracos tentáculos externos da galáxia se estendendo e parecendo cercar sua pequena companheira. O fluxo de luz estrelada que conecta as duas galáxias é evidência da interação gravitacional entre elas – uma conexão luxuosa e graciosa que durou 400 milhões de anos. A interação gravitacional entre NGC 1512 e NGC 1510 afetou a taxa de formação de estrelas em ambas as galáxias, além de distorcer suas formas. Finalmente, NGC 1512 e NGC 1510 se fundirão em uma única galáxia maior – um longo exemplo de evolução galáctica.

Galaxy NGC 1512 Wide

Corte mais amplo da imagem NGC 1512. Crédito: Dark Energy Survey/DOE/FNAL/DECam/CTIO/NOIRLab/NSF/AURA, Processamento de imagem: TA Rector (University of Alaska Anchorage/NSF’s NOIRLab), J. Miller (Gemini Observatory/NSF’s NOIRLab), M. de Martin (NOIRLab da NSF)

Essas galáxias em interação estão localizadas na direção da constelação Horologium no hemisfério celeste sul e estão a aproximadamente 60 milhões de anos-luz da Terra. O amplo campo de visão desta observação mostra não apenas as galáxias emaranhadas, mas também seus arredores estrelados. O quadro está cheio de estrelas frontais brilhantes dentro[{” attribute=””>Milky Way and is set against a backdrop of even more distant galaxies.

The image was taken with one of the highest-performance wide-field imaging instruments in the world, the Dark Energy Camera (DECam). This instrument is perched atop the Víctor M. Blanco 4-meter Telescope and its vantage point allows it to collect starlight reflected by the telescope’s 4-meter-wide (13-foot-wide) mirror, a massive, aluminum-coated, and precisely shaped piece of glass roughly the weight of a semi truck. After passing through the optical innards of DECam — including a corrective lens nearly a meter (3.3 feet) across — starlight is captured by a grid of 62 charge-coupled devices (CCDs). These CCDs are similar to the sensors found in ordinary digital cameras but are far more sensitive, and allow the instrument to create detailed images of faint astronomical objects such as NGC 1512 and NGC 1510.

Galaxy NGC 1512 Wider

An even wider crop of the NGC 1512 image. Credit: Dark Energy Survey/DOE/FNAL/DECam/CTIO/NOIRLab/NSF/AURA, Image processing: T.A. Rector (University of Alaska Anchorage/NSF’s NOIRLab), J. Miller (Gemini Observatory/NSF’s NOIRLab), M. Zamani & D. de Martin (NSF’s NOIRLab)

Large astronomical instruments such as DECam are custom-built masterpieces of optical engineering, requiring enormous effort from astronomers, engineers, and technicians before the first images can be captured. Funded by the US Department of Energy (DOE) with contributions from international partners, DECam was built and tested at DOE’s Fermilab, where scientists and engineers built a “telescope simulator” — a replica of the upper segments of the Víctor M. Blanco 4-meter Telescope — that allowed them to thoroughly test DECam before shipping it to Cerro Tololo in Chile.


O DECam foi criado para conduzir o Dark Energy Survey (DES), uma campanha observacional de seis anos (2013-2019) envolvendo mais de 400 cientistas de 25 instituições em sete países. Este esforço colaborativo internacional se propôs a mapear centenas de milhões de galáxias, descobrir milhares de supernovas e descobrir padrões sutis de estrutura cósmica – tudo para fornecer detalhes muito necessários sobre a misteriosa energia escura que está acelerando a expansão do universo. Hoje, o DECam ainda é usado para software por acadêmicos de todo o mundo para continuar seu legado de ciência de ponta.

READ  Tripulação da NASA embarca em missão simulada a Marte para estudar isolamento e confinamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.