A “Zona de Inovação” promete 17.000 novos empregos

In Business, Lisbon, Tech · 19-03-2021 01:00:00 · 0 comentários

Criar uma cidade global com um estilo de vida sustentável, inovação e know-how tecnológico é o objetivo da ‘Zona de Inovação’, um projeto que promete investir 800 milhões de euros e criar 17.000 empregos em Almada.

“Innovation Zone” é um projeto de Universidade Nova de Lisboa E um grupo de proprietários do Monte da Caparica e do Puerto Brandão, que promete uma nova centralização e internacionalização da área da Grande Lisboa.

“O ingrediente essencial para o sucesso na economia do conhecimento são as pessoas, os seus talentos e as redes que criam entre si. Esta é a génese da“ zona de inovação ”, afirmou o vice-presidente da Universidade Nova de Lisboa, José Ferreira Machado. Quem disse acreditar que a primeira fase do projeto será concluída em dez anos, até 2030.

Porque as pessoas precisam de “lugares para viver e interagir, lugares onde possam viver, trabalhar, conversar e gozar os tempos livres”, “cidades como as que vão nascer em Almada e que vão potenciar a internacionalização da Grande Lisboa”, acrescentou. .

O Vice-presidente da Universidade da NOVA de Lisboa referiu ainda que alguns projectos, como as obras no campus da Faculdade de Ciências e Tecnologia – construção de instalações desportivas, cobertura comercial e primeira fase do ‘hub’ de inovação – deve começar este ano, dado que parte do financiamento vem da União Europeia. Deve estar concluído até ao final de 2023.

Na apresentação do projecto, a autarca de Almada, Ines de Medeiros (PS), destacou a participação de investidores públicos, privados, nacionais e estrangeiros na adaptação dos seus projectos iniciais numa joint venture mais ambiciosa, no âmbito de uma estratégia conjunta entre o município e os investidores.

READ  Melman reina em uma luta de 194 minutos

Segundo os promotores, a “zona de inovação” será “uma cidade única e multi-cidade, pensada para elevar a qualidade de vida de cada um dos seus residentes”, tendo por base o conceito de “viver, trabalhar e operar”, e as diversas os pontos de atração estarão a uma curta distância de 15 minutos.

Tendo o campus da Nova Escola de Ciência e Tecnologia como ponto focal [FCT], A “zona de inovação” pretende ser um novo centro que coloca o conhecimento, os talentos qualificados e a inovação como motor do desenvolvimento e da transformação urbana ”, diz nota distribuída a jornalistas na apresentação“ online ”do projecto a desenvolver no concelho de Almada, distrito de Setúbal.

Ainda de acordo com os promotores, a “zona de inovação”, “enquanto espaço de inovação, pretende também tornar-se atractiva para empresas e particulares, e contribuir para a promoção do desenvolvimento da área metropolitana de Lisboa e aproveitamento do seu potencial de internacionalização”.

Além disso, acrescentam, é um projeto que visa a criação de uma comunidade criativa, diversa, vibrante e sustentável, inspirada por uma melhor qualidade de vida. ”

Entre os proprietários e investidores que demonstraram interesse nas capacidades inovadoras da “zona de inovação” estão as empresas Cordialequation, Rustik Puzzle, SOSTATE, Maia e Pereira, Cooperativa de Ensino Superior Egas Moniz, Oceano Emergente, Rio Capital, Orbisribalta e Serra Henrique Corporation.

Para além do investimento prometido de 800 milhões de euros, a zona de inovação deverá ainda beneficiar de novas acessibilidades e de um conjunto de infraestruturas públicas, nomeadamente a reabilitação do Porto Brandão e a expansão do metro Sul de Tigo para a Costa da Caparica.

A proposta do projeto não mencionou qualquer estimativa de custos ou prazo para esses investimentos públicos, que são essenciais para atingir a “zona de inovação”.

READ  A tabela da Liga dos Campeões da UEFA fica borrada para frente e para trás

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *