A mortalidade continua sua trajetória ascendente. Cada vez menos nascem em Portugal

As mortes em Portugal continuam a seguir uma trajetória ascendente – sem ligação reconhecida com a Covid-19. Enquanto isso, o número de nascimentos está diminuindo ano a ano.

Entre janeiro e outubro de 2021, o número de mortes foi de 103.211. Isso é mais do que o número registrado em 2019 (antes da pandemia) e 2020 (uma vez que começou).

Entre janeiro e outubro deste ano, de acordo com dados do site da DGS Covid, 10.934 pessoas morreram de Covid-19. (Tendo em conta que os números de mortes de janeiro foram publicados apenas 24 horas depois, em 2 de janeiro de 2021, o número total de mortes de Covid em Portugal nessa altura era de 7.045. No final de setembro – isto é, considerando os números publicados em outubro 1 – os números subiram para 17.979).

Em outras palavras, das 103.211 mortes entre janeiro e outubro, 91.277 não morreram com Covid-19 – ou mesmo com Covid-19.

Apresentando hoje os dados, o Jornal Económico acrescenta que a taxa de mortalidade continuou a aumentar até outubro.

“De acordo com os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística nesta sexta-feira, o número de óbitos (para o mês de outubro) foi de 9.314 – valor superior ao registado no mês anterior, um aumento de 749 óbitos”, mas inferior Outubro de 2020..

Mais uma vez, o número de mortes de Covid em outubro, de acordo com o site da DGS, chegou a 183 – o que significa que 9.136 mortes (ou 98% das mortes) foram por outras causas.

Para provar que o número de mortos aumentou devido à epidemia, a pergunta deve ser “Até onde?”

READ  🇵🇹 Portugal: Cinco temporadas qualificam-se para a Final Cansau de 2021

O Instituto Nacional de Estatística relata que o número de mortos no período de janeiro a outubro subiu para 10.318 em números de 2019 e 4.107 em números de 2020.

E o relatório do Instituto Nacional de Estatísticas acrescenta: “Apesar da queda acentuada na taxa de mortalidade em março de 2021 (ou seja, após a administração de vacinas Covid) em comparação com os mesmos meses em 2020, isso não compensou o alto número de mortes registrado em janeiro e fevereiro de 2021. ”

Janeiro de 2021 foi o pior mês de mortes registradas, com o maior número registrado desde o início da pandemia: 19671 – 7809 a mais do que o registrado em janeiro de 2020.

Dessas mortes, 29,4% (ou 5.785) foram registradas como Covid-19.

Na outra ponta da escala, os partos continuam em queda livre: O Instituto Nacional de Estatística informa que em setembro deste ano foram registrados 7.117 bebês “o que representa uma redução de 7,1% em relação a 2020.

“O número total de nascimentos registrados entre janeiro e setembro de 2021 foi de 58.732, menor que o número de nascimentos em 2019 e 2020” (menos 6.208 e 5.452, respectivamente).

O resultado significa “saldo negativo de -1.427 pior que no mesmo mês de 2020, quando o saldo negativo era de -1.331”.

“Cumulativamente falando, o saldo natural para setembro foi de -35.074, um valor exponencial em comparação com o mesmo período de 2019 (quando os nascimentos diminuíram em 19.150) e 2020 (quando eles diminuíram em 25.112).

[email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *