A estreante brasileira Eve completou o teste de túnel de vento do carro voador

Por Gabriel Araújo

SÃO PAULO (Reuters) – A empresa anunciou nesta segunda-feira que um carro voador está um passo mais próximo da realidade aérea, após um teste bem-sucedido em túnel de vento do carro futurista que está sendo desenvolvido pela fabricante brasileira de aviões elétricos Eve Holding.

A Eve, que é controlada pela fabricante de aeronaves Embraer, disse que espera iniciar as operações comerciais de seu veículo totalmente elétrico em 2026.

O conceito, chamado de veículo elétrico de decolagem e pouso vertical, ou eVTOL, foi apelidado de táxi voador.

Testes de túnel de vento concluídos são vistos como a chave para obter o credenciamento pelos reguladores, bem como a produção e vendas futuras para compradores em todo o mundo.

“As informações que obtivemos durante esta fase de desenvolvimento nos ajudaram a refinar nossas soluções técnicas eVTOL, antes de nos comprometermos com ferramentas de produção e protótipos correspondentes”, disse Luiz Valentini, Diretor de Tecnologia da Eve.

A empresa espera concluir a seleção dos principais fornecedores de equipamentos no primeiro semestre deste ano e começar a construir seu primeiro protótipo em escala real no segundo semestre. Testes adicionais estão programados para 2024.

A Eve tem uma carteira de quase 2.800 pedidos antes do início da produção, com o desenvolvimento apoiado por investidores como United Airlines e Rolls-Royce.

Os testes de túnel de vento foram concluídos na Suíça usando o modelo em escala eVTOL, que a empresa disse ter ajudado a investigar como componentes como a fuselagem e as asas se comportam em voo.

A Reuters noticiou em fevereiro que a Eve, que estreou no ano passado na Bolsa de Valores de Nova York, citou a certificação como um de seus objetivos mais imediatos.

READ  Brasil e Alemanha se enfrentam no futebol masculino na quinta-feira

Analistas dizem que a empresa está a caminho de cumprir seus planos grandiosos, mesmo que não seja o primeiro carro voador a decolar.

De acordo com os analistas da Jefferies, “É improvável que a Eve eVTOL seja a primeira no mercado, embora o pipeline de pedidos forneça uma pista para capturar participação de mercado no mercado emergente de eVTOL”.

Jefferies e JPMorgan elevaram na semana passada suas metas de preço para Eve, citando carteira de pedidos líder do setor e suporte da Embraer.

As ações da Eve subiram quase 10% este ano.

(Reportagem de Gabriel Araujo; Edição de David Alair Garcia e William Mallard)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *